PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Irmão de Chico Mendes morre por complicações da covid-19 no Acre

Francisco de Assis Alves Mendes, 58, irmão do ambientalista e sindicalista Chico Mendes, morreu por complicações da covid-19  - Reprodução
Francisco de Assis Alves Mendes, 58, irmão do ambientalista e sindicalista Chico Mendes, morreu por complicações da covid-19 Imagem: Reprodução

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Ponta Grossa (PR)

06/08/2020 16h41

O policial militar da reserva Francisco de Assis Alves Mendes, 58, irmão do ambientalista e sindicalista Chico Mendes, morreu anteontem em Rio Branco. Ele estava internado desde 29 de julho no Into (Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre) e não resistiu às complicações da covid-19.

Segundo a família, Assis Mendes - como era conhecido - cumpria isolamento social em um sítio em Brasileira, interior do Acre, quando passou mal e acionou os parentes. O sepultamento ocorreu ontem em Rio Branco.

"Ele estava obedecendo certinho o protocolo de isolamento em um sítio, mas infelizmente contraiu este vírus. Não sabemos como. O meu pai passou mal e fomos buscá-lo lá. Internamos após apresentar falta de ar, fez o exame e constatou a covid-19. Depois que internou, só piorou o quadro", relatou o filho Victor Mendes.

Diabético, Assis Mendes deixa três filhos e a esposa. Ela também está infectada com o novo coronavírus. A Polícia Militar do Acre emitiu nota lamentando a morte de Assis, que se aposentou como sargento.

"Neste momento de grande tristeza e dor, expressamos as nossas mais sinceras condolências e pedimos a Deus que dê conforto aos familiares enlutados, para que possam enfrentar com serenidade a imensurável dor da perda de seu ente querido, e para que traga conforto a vossos corações", informou.

O ONG Comitê Chico Mendes também lamentou o ocorrido: "Assis foi mais uma vítima da covid-19, essa pandemia que tem assolado o planeta e as famílias. Aqui ficam nossas condolências, nosso carinho e nossa solidariedade à família e aos amigos".

Geração de irmãos Mendes

Assis era o caçula entre os seis irmãos Mendes. Chico era o mais velho. José Mendes, conhecido como Zuza, e Celiza Mendes, também já morreram. Estão vivos Margarida e Lino Mendes, que moram em Rondônia, segundo a família.

Dias após a morte de Chico, em 22 de dezembro de 1988, em Xapuri (AC), Assis foi um dos responsáveis por capturar José Cândido de Araújo, pistoleiro conhecido pelo apelido de Zezão. Ele era suspeito de participar do assassinato de Chico Mendes e de ameaçar de morte Zuza Mendes, que seguiu os passos do ambientalista em defesa dos povos extrativistas da Amazônia.

Defensor do uso sustentável da floresta e ativista político contra grileiros, Chico Mendes foi assassinado a mando de fazendeiros. O episódio ganhou repercussão internacional em razão de um ano antes o ambientalista ser o único brasileiro condecorado pela ONU como parte do prêmio Global 500 - que homenageou 500 ecologistas de todo o mundo por seu trabalho em defesa do meio ambiente.

Saúde