PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Covid: Rio anuncia leitos e testagem em massa, mas descarta novo lockdown

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

24/11/2020 17h39

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), anunciou medidas de enfrentamento ao aumento de números de casos da covid-19 no estado. O plano de mitigação do contágio da doença incluirá a criação novos leitos exclusivos para tratamento do coronavírus em unidades públicas, ações coordenadas para garantir o cumprimento das normas de higiene sanitária e um grande programa de testagem em massa. Um lockdown ou mesmo o fechamento parcial do comércio e dos serviços foi descartado pelo governador.

Nas palavras de Castro, a reta final do primeiro turno das eleições municipais pode ter sido determinante para o novo aumento dos casos. Mesmo assim, ele evitou falar em segunda onda da doença. "Seria uma irresponsabilidade [falar em segunda onda]. Precisamos ter cautela ao falar disso. Caso essa segunda onda venha, estaremos preparados para combatê-la", afirmou.

Até a noite de ontem, o estado tinha 22.028 óbitos e 338.688 casos confirmados da doença. Rodeado por prefeitos da região metropolitana, empresários e representantes de diversos setores, o governador em exercício disse que pretende chegar a 400 novos leitos, mas não deu detalhes sobre prazos ou a operação dos serviços hospitalares.

"Essas pessoas foram chamadas aqui para fazer um pacto. Recentemente, abrimos 240 leitos. Nossa intenção é chegar a 400 leitos para atendimento exclusivo a [pacientes com] covid. Não há previsão de fechamento [do comércio]. O momento é de conscientização. Por isso, a questão preventiva e o pacto de higiene foram firmados, aliados ao aumento da capacidade de atendimento", disse.

Castro também anunciou que as compras de insumos e equipamentos não serão feitas sem licitações —editais serão abertos para evitar suspeitas de fraudes em contratos como as que motivam o processo de impeachment contra o governador afastado Wilson Witzel (PSC).

Dos oito hospitais de campanha anunciados em março, apenas dois chegaram a funcionar, em regime parcial, e já foram desmontados. Dessa vez, os leitos serão instalados em unidades de saúde pertencentes ao estado.

Uma nova entrevista à imprensa deve ser realizada em até 48 horas, de acordo com Castro. Na ocasião, será detalhado o planejamento para a testagem em massa através de exames de imagem e RT-PCR.

As medidas anunciadas hoje terão validade de 15 dias a partir de amanhã. Caso o aumento dos casos da doença siga sendo registrado, novos decretos podem estabelecer o fechamento das atividades em breve. Ele também afirmou que conta com o Corpo de Bombeiros para fiscalizar eventos e festas que têm gerado aglomerações no estado.

"Além disso, o processo eleitoral teve muitas aglomerações. É natural da democracia, mas agora a situação está mais controlada com o fim do primeiro turno em vários municípios", concluiu.

Coronavírus