PUBLICIDADE
Topo

Saúde

SP: Secretária diz que limitação do horário do comércio está em análise

Secretária Patricia Ellen durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes - Divulgação
Secretária Patricia Ellen durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

01/12/2020 09h02

A secretária estadual do Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patricia Ellen, disse hoje que está em análise a questão da limitação do horário de atendimento presenciais — restrito até dez horas por dia — com a regressão da fase verde à fase amarela do Plano São Paulo, de reabertura da economia durante a pandemia do novo coronavírus, mas argumentou que a quantia é vista como suficiente para distribuir a demanda de pessoas no decorrer do dia.

De acordo com as principais regras de funcionamento para atendimentos presenciais na fase amarela, fica limitado a 40% o total de ocupação para todos os setores —na fase verde, ficava a 60%. O horário de funcionamento fica restrito até dez horas por dia e devem fechar as portas até as 22h.

Lojistas temem que o retrocesso prejudique o Natal. Eles também avaliam que, com redução de horário, as lojas ficam cheias o tempo todo.

"Nosso modelo de horário é parecido com o que a gente está vendo no mundo, há um questionamento que está em análise agora das 10 versus as 12 horas. Independente disso, 10 horas com o que a gente tem visto no restante do mundo é o suficiente para que a gente possa dividir a demanda no decorrer do dia. Mas o pleito foi recebido e temos analisado todos os pleitos que estão chegando de sugestões de melhorias", disse a secretária, em entrevista ao Bom Dia São Paulo, da TV Globo.

Ela acrescentou que as autoridades buscam constante melhoria do plano e aceitam todas as sugestões possíveis. "O setor do comércio, serviços, educação, nessa primeira retomada muito gradual que está sendo realizada, tem sido exemplo de aplicação de protocolos", afirmou.

Reunião com cidades em alta de covid-19 em SP

O governo de São Paulo promove, na tarde de hoje, uma reunião virtual com 62 prefeituras dos municípios do estado que têm apresentado, desde novembro, índices mais preocupantes em relação ao coronavírus.

Segundo o governo, o objetivo do encontro é ouvir das prefeituras para entender os problemas particulares de cada local e poder montar um plano em conjunto.

O critério para a reunião são os municípios com mais de 70 mil habitantes que apresentam ocupação média de leitos acima de 75% ou aumento de internações em mais de 10%, na comparação dos últimos sete dias com o mesmo período anterior, segundo última atualização de 28 de novembro do governo estadual.

Saúde