PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
9 meses

Governador do PI se reúne com AstraZeneca e promete calendário de vacinação

Wellington Dias (PT) informou que imunização pode começar já no dia 21 - Governo do Piauí/Divulgação
Wellington Dias (PT) informou que imunização pode começar já no dia 21 Imagem: Governo do Piauí/Divulgação

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

06/01/2021 22h18

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), presidente do Consórcio Nordeste, afirmou que a biofarmacêutica AstraZeneca e a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) vão fornecer dois milhões de doses da vacina de Oxford contra a covid-19 ainda este mês para imunizar parte da população brasileira.

A informação foi divulgada após uma reunião online ocorrida na tarde de hoje entre Dias e equipes da AstraZeneca Brasil e da Fiocruz, que tem parceria com a universidade britânica de Oxford para receber a tecnologia de produção do imunizante. O governador do Piauí representou também o Fórum dos Governadores no encontro virtual.

Dias informou ainda que a biofarmacêutica deverá entrar com o pedido emergencial à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) do uso das doses e do TFA (princípio ativo do imunizante) no Brasil até a próxima sexta-feira (8), e que a imunização poderá iniciar já no próximo dia 21. A Anvisa tem o prazo de dez dias, a contar do pedido, para se pronunciar.

"A AstraZeneca confirmou a entrega das vacinas ainda em janeiro e, até sexta-feira, entra com o pedido emergencial, que permite, em um prazo máximo de dez dias, ter a autorização da Anvisa para o uso, tanto dessas doses quanto do TFA, que é o princípio ativo da AstraZeneca e que, por meio da Fiocruz, faz a vacina pronta para distribuição", destacou Wellington Dias.

Na próxima segunda-feira (11), Wellington Dias participará de uma reunião para discutir a elaboração do cronograma de vacinação. "Estamos buscando agora acertar o passo. A ideia é que, na segunda-feira, na reunião com as autoridades de diferentes áreas, possamos ter o cronograma para vacinação no Brasil, claro, com muita responsabilidade, mas também com a urgência e agilidade que a situação exige", disse.

O UOL procurou o governador do Piauí para saber quais estados integrantes do Consórcio Nordeste e do Fórum dos Governadores aderiram ao calendário de vacinação, mas não obteve resposta até a publicação deste texto.

O governador destacou que o imunizante da AstraZeneca tem "segurança e eficácia já demonstradas pelas avaliações de outras agências reguladoras internacionais" e, por isso, há condições de iniciar a vacinação no Brasil já a partir do dia 21 de janeiro.

"Teremos condições de iniciar, imediatamente, a vacinação no Brasil. Portanto, é real a possibilidade da distribuição para todo o território nacional em 21 de janeiro. Os governadores dos estados estão prontos, bem como os municípios como parceiros para a aplicação da vacina", ressaltou.

A Fiocruz informou ao governador que estima uma produção de 50 milhões de doses da vacina até o mês de abril. A vacina foi desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, da Inglaterra.

"O que acertamos foi para que tenhamos algo como 50 milhões de doses para o Ministério da Saúde, destinado ao Plano Nacional de Imunização, até o mês de abril. Também deixamos como pedido dos governadores do Brasil para que a AstraZeneca possa ampliar a produção das doses, alcançando capacidade plena da Fiocruz, que pode chegar a 30 milhões de doses de vacina por mês, isso permitirá que o Brasil tenha um processo de imunização mais célere, incluindo a possibilidade de atender a outros países que precisam também da vacina", frisou o governador do Piauí.

Segundo a Fiocruz, o imunizante tem tecnologia de vetor viral não replicante de adenovírus de chimpanzé, que foi manipulado geneticamente para inserir a proteína spike do Sars-CoV-2.

Coronavírus