PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
10 meses

Governo do DF prevê 80% da população vacinada até o fim de 2021

Petruz Sanchez, secretário-adjunto de Assistência à Saúde do Distrito Federal - Divulgação
Petruz Sanchez, secretário-adjunto de Assistência à Saúde do Distrito Federal Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

07/01/2021 14h04Atualizada em 07/01/2021 21h21

O governo do Distrito Federal demonstrou confiança hoje de que a grande maioria da população brasileira já estará vacinada contra a covid-19 até o fim de 2021. Segundo Petrus Sanchez, secretário-adjunto de assistência à Saúde do DF, que é governado por Ibaneis Rocha (MDB), as promessas feitas ontem pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, permitem que se projete cerca de 80% da população vacinada neste ano.

Em pronunciamento feito em rede nacional, Pazuello anunciou que o governo federal tem 354 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 já "asseguradas". Neste montante, o ministro incluiu 254 milhões de doses da vacina de Oxford, a ser produzida pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, e mais 100 milhões de doses da CoronaVac, que já está sendo produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech.

"Se a gente trabalhar com os 354 milhões de doses, que foi anunciado no dia de ontem, e calculando aí uma perda de 5% de logística na parte de distribuição dessas doses, a gente teria um percentual da população chegando quase perto de 80% da população nacional até 2021 sendo vacinada", disse Sanchez em entrevista à TV Globo.

O cálculo do secretário foi baseado na população estimada do Brasil hoje, de 210 milhões de habitantes. Como cada cidadão brasileiro precisará de duas doses para ser imunizado, aproximadamente 168 milhões de pessoas poderiam ser vacinadas caso fosse descontada apenas a perda logística de 5% em relação ao número total de doses.

O secretário deixou claro que o Distrito Federal não tem intenção por enquanto de buscar a aquisição própria de vacinas, assim como São Paulo fez com a CoronaVac, e confiará no Ministério da Saúde para fornecer as doses necessárias por meio do PNI (Programa Nacional de Imunização).

"A gente realmente dá muita credibilidade ao PNI do Ministério da Saúde e a gente está realmente aguardando essas vacinas chegarem. E pelo que foi anunciado no dia ontem, elas vão chegar num quantitativo muito satisfatório", afirmou Sanchez, minimizando o fato de o governo federal ainda não ter uma data definida para o início da imunização.

"A gente entende que há alguma dificuldade com relação a ser muito certeiro no período de vacinação", comentou o secretário, que depois voltou a defender a estratégia de esperar pelo PNI.

"A gente não vê isso como erro nem retardo da vacinação", disse. "Ter essa vacina adquirida de outra forma a gente vai estar [adquirindo] de uma forma diferente de outros estados, correndo risco de até ter no entorno esses usuários se servindo aqui e a gente não conseguindo atender a população própria", acrescentou.

Segundo o último boletim do governo sobre a doença causada pelo novo coronavírus, até ontem o Distrito Federal já havia registrado 255.875 casos confirmados e 4.328 mortes por covid-19.

Coronavírus