PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Prefeitos vão se reunir com Pazuello para cobrar vacinação contra covid-19

Questões como o calendário de vacinação e a logística necessária para iniciá-la estão na pauta da reunião - Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo
Questões como o calendário de vacinação e a logística necessária para iniciá-la estão na pauta da reunião Imagem: Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

13/01/2021 16h13Atualizada em 13/01/2021 16h51

Liderados pela FNP (Frente Nacional de Prefeitos), mais de 100 governantes locais vão se reunir virtualmente amanhã, às 10h30, com o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, para tratar de pontos emergenciais relativos à vacinação contra a covid-19, como o calendário de imunização e a logística necessária para iniciá-la, por exemplo.

Questões sobre planejamento, organização, aquisição e distribuição — não só das vacinas, como também de seringas, agulhas e outros insumos — também estão entre os itens da pauta.

Ex-prefeito de Campinas e presidente da FNP, Jonas Donizette (PSB) participará da reunião presencialmente, no Ministério da Saúde. A expectativa, segundo ele, é que o encontro possa trazer definições que, principalmente neste contexto de aumento da taxa de transmissão da doença, têm sido demandadas nos municípios.

"O que queremos é um posicionamento urgente sobre como e quando se dará a imunização dos brasileiros", disse Donizette em uma rede social.

Acompanhando os prefeitos, secretários municipais de saúde também devem participar da reunião.

Preocupação com Manaus

Mais cedo, Pazuello disse que Manaus (AM) é prioridade no combate ao coronavírus e que é necessário fortalecer o "atendimento precoce". O ministro cumpre agenda no estado desde domingo (10) e deve retornar hoje para Brasília.

"Manaus é a prioridade nacional neste momento, vocês estão ouvindo do ministro da Saúde", disse Pazuello em pronunciamento em Manaus.
A cidade enfrenta aumento de casos e superlotação de unidades de saúde. "Não tem como resolver essa situação se não transformarmos o atendimento precoce em prioridade, que aliás já é a prioridade do prefeito atual."

Vamos vacinar em janeiro e Manaus será também a primeira a ser vacinada. Eu fui claro? Ninguém receberá a vacina antes de Manaus. A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade também."
Eduardo Pazuello, ministro da Saúde

Após a fala de Pazuello, o Ministério da Saúde esclareceu que a vacinação será simultânea em todo país e Manaus não será o primeiro município a vacinar. Ou seja, Manaus não receberá nem antes nem depois dos demais municípios, e sim ao mesmo tempo.

O ministro prevê que a vacinação começará "três ou quatro" dias após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizar a aplicação de doses. Segundo ele, a imunização começará ainda em janeiro, mas não há uma data específica.

Coronavírus