PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Pará reforça com mais 44 leitos de UTI cidades na divisa com o Amazonas

O governador do Pará, Helder Barbalho -  Marcos Corrêa/PR
O governador do Pará, Helder Barbalho Imagem: Marcos Corrêa/PR

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

16/01/2021 22h59

O governo do Pará anunciou hoje que decidiu abrir 44 novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para atender cidades das regiões que fazem divisa com o Amazonas. A medida é preventiva, informou a Secretaria de Saúde do Pará, em razão do colapso do sistema de saúde no estado vizinho, por causa da explosão de casos de covid-19.

Receberão os novos leitos as regiões do Baixo Amazonas e do Tapajós. A previsão é de que eles entrem em operação ao longo da próxima semana.

Segundo o governo do Pará, serão acrescentados 30 leitos de UTI no Hospital Regional de Tapajós, em Itaituba, somando 60 somente para tratamento intensivo.

Na segunda-feira (18), está prevista a operação de mais quatro leitos de UTI no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, totalizando 20 leitos. E mais dez novos no Hospital 9 de Abril, em Juruti, que já estão prontos neste sábado (16).

Somando os novos leitos, as regiões terão 90 UTIs e 34 leitos clínicos, divididos entre as unidades de saúde.

"Sabemos que a nossa região é divisa com o Amazonas e acompanhamos a explosão de casos no estado vizinho, então entendemos que devemos agir de forma preventiva, redobrando os cuidados", explicou Aline Cunha, diretora regional de Saúde, em Santarém.

Baixo Amazonas entra em fase vermelha

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse ontem nas redes sociais que a região do Baixo Amazonas, na divisa com o estado vizinho, passaria da fase amarela para a vermelha na classificação definida pela equipe epidemiológica de controle ao novo coronavírus.

A mudança de fase levou em consideração a capacidade hospitalar e a quantidade de casos de covid-19 na região. A alteração abrange 13 municípios, totalizando 705 mil habitantes: Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Santarém e Terra Alta.

Entrada de barcos do Amazonas no Pará está proibida

Outra medida tomada pelo governo do Pará para evitar o surgimento no estado da possível nova cepa do novo coronavírus investigado no Amazonas foi a proibição da entrada de barcos de passageiros vindos do estado vizinho.

A proibição consta do Decreto nº 1.273, publicado na quinta-feira (14) no Diário Oficial paraense.

Saúde