PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Técnica de enfermagem e idosa são as primeiras vacinadas no Rio

18.jan.2021 - A técnica em enfermagem Dulcineia da Silva Lopes (centro) e Terezinha da Conceição (sentada à esq.) foram as primeiras vacinadas no Rio - THIAGO RIBEIRO/ AGIF/ ESTADÃO CONTEÚDO
18.jan.2021 - A técnica em enfermagem Dulcineia da Silva Lopes (centro) e Terezinha da Conceição (sentada à esq.) foram as primeiras vacinadas no Rio Imagem: THIAGO RIBEIRO/ AGIF/ ESTADÃO CONTEÚDO

Igor Mello

Do UOL, no Rio

18/01/2021 18h45

As duas primeiras pessoas vacinadas no Rio de Janeiro receberam o imunizante pouco antes das 18h30 de hoje (18) em ato simbólico no Cristo Redentor. O início da vacinação no estado, que coincide com um pico de mortes equivalente à média de junho passado, foi marcado por aglomeração e atraso na chegada das vacinas após problemas de logística do governo federal no envio aos estados.

A primeira vacinada foi Dulcineia da Silva Lopes, 59, atua na linha de frente contra a covid-19. Ela é técnica de enfermagem do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, unidade de referência de tratamento contra a doença na capital fluminense. Moradora de um abrigo, Terezinha da Conceição, 80, foi a segunda pessoa que recebeu o imunizante no estado.

Ambas fazem parte dos grupos prioritários que receberão o primeiro lote da CoronaVac.

Terezinha estava em vulnerabilidade social e foi acolhida no abrigo Cristo Redentor em 2015 após sua residência ter sido demolida pela Defesa Civil.

18.jan.2021 - Terezinha da Conceição, 80, também foi vacinada no Cristo - MAURO PIMENTEL / AFP - MAURO PIMENTEL / AFP
18.jan.2021 - Terezinha da Conceição, 80, também foi vacinada no Cristo
Imagem: MAURO PIMENTEL / AFP

Ela recebeu a vacina de Adélia Maria dos Santos, que é servidora pública municipal da Saúde desde 1979 e foi uma das fundadoras do Programa de Imunização da cidade.

Nossa principal escolha nesse momento é a vacinação. Eu trabalho com vacina há muitos anos e a gente sabe como a vacina já parou várias epidemias. Como a pólio, o sarampo. Eram as coisas que mais contaminavam as crianças principalmente, com mortes e sequelas [...] Nada de medo.

Adélia Maria dos Santos, enfermeira que deu início à vacinação no Rio

Para criar espaço para dezenas de convidados, a organização do evento concentrou cerca de cem profissionais de imprensa em um pequeno espaço. A situação foi agravada pelo atraso no evento, que chegou a mais de uma hora.

O prefeito Eduardo Paes (DEM) e o governador em exercício Cláudio Castro (PSC) chegaram acompanhados por dezenas de auxiliares. Terezinha da Conceição ia à frente do grupo.

Paes recomendou que a população evitasse se aglomerar, mas disse que "às vezes não tem jeito", com um gesto indicando que falava sobre o local. Questionado pelo UOL sobre a contradição que é iniciar a vacinação em um evento que pode propagar a covid-19, Paes desconversou. "Então vamos desaglomerar", respondeu.

'Problema logístico' e voo fretado para SP

A chegada da vacina no estado também foi marcada por atraso e falta de informação. Entrevista à imprensa convocada pelo governador em exercício do Rio, Cláudio Castro (PSC), foi desmarcada às 13h —quando estava prevista para começar— em razão do cancelamento do voo que traria as vacinas.

O governo, que justificou dizendo apenas ter ocorrido um "problema logístico", mandou um avião fretado a São Paulo que trouxe ao Rio dez caixas da vacina, o que permitiu o início simbólico da vacinação no Cristo Redentor. A chegada do restante do lote está prevista para acontecer entre a noite de hoje e a madrugada de amanhã em voos da companhia aérea Azul.

Na capital fluminense, o primeiro lote do imunizante será aplicado em um período de quatro dias —segundo o plano municipal, 110.470 pessoas devem ser vacinadas na cidade do Rio entre 19 e 23 de janeiro.

O estado do Rio vai vacinar 232.521 pessoas com o primeiro lote —no total, o governo do estado receberá 487.520 doses do imunizante.

Integram o público-alvo da 1ª etapa da vacinação:

  • Profissionais de saúde que atendem diretamente pacientes com covid-19 (CTI, enfermaria que atende SRAG --Síndrome Respiratória Aguda Grave-- e emergências)
  • Profissionais envolvidos na campanha de vacinação para covid-19
  • Trabalhadores de instituições de longa permanência
  • Idosos (a partir 60 anos) moradores de instituições de longa permanência
  • Pessoas com deficiência a partir de 18 anos moradoras de abrigos/residências inclusivas
  • População indígena vivendo em terras indígenas

Coronavírus