PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Contra desvio de doses da vacina, MPF cobra lista de 26 municípios da Bahia

A enfermeira e servidora do Instituto Couto Maia, Maria Angélica de Carvalho Sobrinha, vacina contra covid-19 na Bahia - Reprodução/Facebook/Rui Costa
A enfermeira e servidora do Instituto Couto Maia, Maria Angélica de Carvalho Sobrinha, vacina contra covid-19 na Bahia Imagem: Reprodução/Facebook/Rui Costa

Do UOL, em São Paulo

20/01/2021 14h46

À pedido do MPF (Ministério Público Federal), 26 municípios da Bahia terão que entregar ao órgão uma lista com o número de doses aplicadas na primeira etapa de vacinação com a CoronaVac, vacina contra a covid-19, os nomes dos vacinados e a categoria de cada um no grupo prioritário.

O objetivo é evitar a aplicação de vacina em quem não integra o grupo prioritário da primeira fase e, no caso de irregularidades, adotar as medidas judiciais cabíveis. Desvios de doses já estão sendo apurados no Amazonas, enquanto nas cidades de Itabi, em Sergipe, e Pombal, na Paraíba, os prefeitos foram criticados por furarem a fila da vacinação.

Os prefeitos de Guanambi e Caetité foram comunicados da medida no último sábado e têm até hoje para prestar os esclarecimentos.

O MPF comunicará hoje os prefeitos dos demais municípios que também terão cinco dias para responder com as informações. São eles: Botuporã, Caculé, Candiba, Carinhanha, Caturama, Érico Cardoso, Ibiassucê, Ibitiara, Iuiú, Jacaraci, Lagoa Real, Licínio de Almeida, Malhada, Matina, Mortugaba, Novo Horizonte, Palmas de Monte Alto, Paramirim, Pindaí, Rio do Antônio, Rio do Pires, Sebastião Laranjeiras, Tanque Novo e Urandi.

Pela divisão das 6 milhões de doses feita pelo Ministério da Saúde, o estado da Bahia recebeu 376.600 doses da CoronaVac. Nessa primeira fase, o imunizante será aplicado apenas no grupo prioritário, que inclui profissionais de saúde na linha de frente do atendimento a pacientes com covid, idosos, pessoas do grupo de risco e indígenas.

Saúde