PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Funcionários terceirizados temem ficar fora de vacinação prioritária em PE

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, no Recife

20/01/2021 21h57

Funcionários terceirizados que atuam com infectados pela covid-19 em hospitais públicos de Pernambuco estão temerosos de não conseguirem tomar a vacina CoronaVac nesta primeira etapa da campanha, que prioriza a imunização de profissionais na linha de frente do combate à pandemia.

A preocupação é que o imunizante só seja aplicado em servidores efetivados. A SES-PE (Secretaria Estadual da Saúde de Pernambuco) nega que haja distinção e afirma que recomendou que todos os profissionais da saúde sejam vacinados.

Representantes do Fórum das Entidades Representativas da Enfermagem Pernambucana divulgaram uma nota cobrando que a vacinação ocorra "sem discriminação".

Funcionários terceirizados que atuam nos setores de serviços gerais e manejo de doentes também relatam o mesmo medo de não serem vacinados.

O UOL ouviu prestadores de serviço terceirizados que trabalham nos hospitais Agamenon Magalhães e Getúlio Vargas, no Recife, sob a condição de não serem identificados porque temem ser demitidos. O relato mistura revolta e medo de ficar sem a vacina.

A gente trabalha porque precisa sobreviver, mas está complicado. É desestimulante saber que um colega vai tomar a vacina porque ele é concursado e os terceirizados podem não ser vacinados. Meu trabalho é igual, mas a prioridade é outra. Isso é revoltante, mas trabalho porque preciso e porque amo minha profissão.
Técnico de enfermagem que atua no hospital Agamenon Magalhães

"Estávamos no plantão quando nos informaram que a vacina chegou aqui ao Recife. Vibrei com a notícia, e hoje estou temeroso em não receber a vacina. Disseram que terceirizado não será vacinado, e vi que, até agora, só vacinaram quem é do quadro do governo do estado. A gente trabalha do mesmo jeito que um efetivo, se expondo igual ou até mais", relatou um profissional que atua no hospital Getúlio Vargas.

O fórum destaca que o Brasil lidera a lista de "países com mais morte de profissionais de enfermagem relacionada à covid-19 em todo o mundo" e que todos deveriam ser contemplados na vacinação.

"O que temos visto é a seleção de profissionais que terão direito à proteção, com o impedimento de vários enfermeiros e técnicos de enfermagem de serem vacinados. Reafirmamos que todos somos linha de frente, todos cuidamos de pacientes com covid-19 em algum momento do turno de trabalho, logo todos devemos ser vacinados", cobram as entidades.

Não sou médico, enfermeiro, mas trabalho com a mesma ou maior exposição que eles, pois trabalho na limpeza no hospital. Hoje, o que falaram é que não vamos ser vacinados e estamos indignados. Mesmo usando os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), a gente se expõe. Penso em todo final de plantão se foi o dia de ser infectado ou não.
Funcionário terceirizado do hospital Getúlio Vargas

O último boletim epidemiológico apontou que Pernambuco registrou 243.044 casos de infectados pelo novo coronavírus e 10.059 mortes em decorrência da covid-19. Hoje, foram confirmados 1.770 novos casos e 39 mortes no estado.

O estado recebeu 270 mil doses da vacina contra a covid-19 para serem distribuídas nos 184 municípios pernambucanos e no arquipélago de Fernando de Noronha.

"O governo de Pernambuco reforça a importância de todos seguirem as recomendações pactuadas para beneficiar, neste primeiro momento, os idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência institucionalizadas, índios aldeados e os trabalhadores de saúde de UTI e enfermarias covid-19 ou, de acordo com a realidade de cada cidade, a gradação dos serviços que atuam na linha de frente do enfrentamento", disse a Secretaria da Saúde.

Segundo o governo, o plano de vacinação segue a orientação do Plano Nacional de Imunização. "Sendo assim, a recomendação é que os profissionais que atuam na linha de frente no combate ao novo coronavírus sejam imunizados, sem nenhum tipo de distinção", afirmou em nota.

Coronavírus