PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Por que a cidade do Rio superou São Paulo em mortes por covid-19

Paciente com coronavírus é atendido em hospital no Rio de Janeiro - Ricardo Moraes - 2.jul.2020
Paciente com coronavírus é atendido em hospital no Rio de Janeiro Imagem: Ricardo Moraes - 2.jul.2020

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio

06/02/2021 04h00

Má gestão da rede pública de saúde e falta de conscientização da população quanto à necessidade de isolamento social levaram o Rio de Janeiro ao posto de capital brasileira com o maior número de mortes por covid-19, ultrapassando a cidade de São Paulo, que possui praticamente o dobro de habitantes. A avaliação é de infectologistas ouvidos pelo UOL.

Ontem o Rio registrou 17.627 mortes em decorrência do coronavírus, já a capital paulista somou 17.546. Só nesta sexta-feira (5), o município fluminense confirmou novos 92 óbitos da doença, enquanto São Paulo registrou 55 mortes.

Médicos infectologistas conversaram com o UOL e citaram fatores que possam ter contribuído para esse avanço de mortes no Rio. "É um somatório de má gestão com uma população que não é educada, que não é treinada para cumprir recomendações. Para mim essa combinação é o que está fazendo o Rio ter passado São Paulo, e o Brasil estar rumando para ser um dos maiores do mundo em mortalidade", disse o infectologista José Pozza.

Problema na saúde

Um dos fatores apontados pelos especialistas é o sucateamento da saúde municipal. O abandono dos hospitais, falta de profissionais e de leitos foi citado por infectologistas. "A rede assistencial é maior e melhor em São Paulo", disse Marcio Nehab, médico do Instituto Fernandes Figueira da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

"Era para a cidade do Rio de Janeiro ter uma assistência hospitalar fantástica, mas o que ocorre é um sucateamento absurdo dos hospitais, a não reposição de profissionais e leitos desativados. Houve uma forte crise na atenção básica e isso foi desestruturado", explicou Roberto Medronho, epidemiologista da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Para Pozza, "São Paulo tem uma vantagem em relação ao Rio que é a rede hospitalar, até no caso dos hospitais de campanha que funcionaram melhor. Tivemos [no Rio] vários hospitais de campanha que nem inauguraram".

São Paulo tem um sistema de saúde estruturado, seguiu a linha da pandemia, foi feito todo um planejamento, que teve politicagem, mas muito melhor do que o do Rio. Aqui no Rio a politicagem foi solta. Criou-se hospitais de campanha que só serviram para corrupção

Roberto Medronho, epidemiologista

O problema na saúde do Rio também é visto pelo infectologista Alberto Chebabo como um dos fatores para que a capital esteja avançando no número de mortes. "Vários hospitais [de campanha] não funcionaram e os que funcionaram foi de forma precária". Para ele, "isso só mostra a falência ao atendimento de covid-19 no Rio de Janeiro. Uma mortalidade acima do aceitável".

Baixo isolamento social no Rio explica alta de mortes, dizem especialistas - Bruno Martins/Estadão Conteúdo - 31.dez.2020 - Bruno Martins/Estadão Conteúdo - 31.dez.2020
Baixo isolamento social no Rio explica alta de mortes, dizem especialistas
Imagem: Bruno Martins/Estadão Conteúdo - 31.dez.2020

Isolamento social

Infectologistas apontam que a questão do isolamento social, tanto das medidas impostas pela Prefeitura do Rio quanto pela população carioca não colaborar com o distanciamento, também pode ter causado para que o município do Rio tenha passado a cidade de São Paulo.

As medidas de restrição de São Paulo foram mais agressivas em vários períodos e, com certeza, isso impactou na transmissão já que o vírus precisa de pessoas circulando para espalhar. O poder público talvez tenha fechado e flexibilizado na hora errada, mas tem também um descumprimento muito grande pela população

José Pozza, infectologista

É comum aos finais de semana e feriados, principalmente em dias de calor, vermos as praias do Rio tomada por banhistas. Essa é uma das hipóteses apontada por Nehab. Para o médico, "o carioca por natureza se aglomera mais do que outros locais". "São Paulo [capital] não tem praia, por exemplo. A cobrança da fiscalização em São Paulo pode ser melhor que a do Rio de Janeiro."

Além do isolamento social, outra questão levantada por Chebabo foi a testagem da covid. "O problema aqui no Rio é que a gente testou pouco. Tanto é que agora com a ampliação, que ainda não é tão grande, do número de testagem a gente já começa a ver um número muito maior de casos positivo do que vimos nos meses anteriores."

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, atualmente a taxa de ocupação dos leitos de UTI covid-19 na cidade está em 64%. No Rio, esse número sobe para 80%.

Coronavírus