PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
4 meses

Niterói e São Gonçalo suspendem vacinação contra covid por falta de doses

Imagem ilustrativa; prefeituras dizem que aguardam o envio de novas doses de vacina pelo Ministério da Saúde - Getty Images/BBC News
Imagem ilustrativa; prefeituras dizem que aguardam o envio de novas doses de vacina pelo Ministério da Saúde Imagem: Getty Images/BBC News

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

09/02/2021 12h11Atualizada em 09/02/2021 19h21

As cidades de Niterói e São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, interromperam hoje a vacinação contra covid-19 devido à falta de novas doses. As duas prefeituras informaram que não há previsão para retomar a imunização e que aguardam envio de novas remessas do Ministério da Saúde.

Em uma transmissão feita pelas redes sociais, o prefeito de Niterói, Axel Grael (PDT), afirmou que acabaram as doses e que "até tentou comprar vacinas, mas não foi possível".

"Eu queria chamar atenção que, na legislação brasileira, cada instância do governo tem uma responsabilidade numa campanha de vacinação. O Ministério da Saúde tem a responsabilidade de comprar as vacinas e distribuir para os estados, os estados fazem as vacinas chegarem nos municípios, e os municípios fazem a vacina na população", disse ele.

Niterói até tentou comprar vacinas, mas não foi possível, então a gente depende das vacinas que chegam do governo federal. Hoje aplicamos as últimas vacinas e não temos confirmação de quando chegarão as próximas vacinas.
Axel Grael, prefeito de Niterói

Na mesma transmissão, o secretário de saúde de Niterói, Rodrigo Oliveira, disse que a cidade aplicou mais de 20 mil doses. Foram vacinados profissionais de saúde da linha de frente, idosos em instituições de longa permanência, como asilos, profissionais de saúde acima de 60 anos, idosos acima de 88 anos e acamados.

A Prefeitura de Niterói informou em nota que há 11.620 doses em estoque para a segunda fase de vacinação de profissionais de saúde da linha de frente de combate ao covid-19.

"A vacinação para esse público específico inicia nesta semana nos locais onde eles trabalham. É importante ressaltar que, de acordo com a bula da vacina, é necessário um intervalo de 14 a 28 dias entre as duas doses para garantir eficácia".

Vacinação em São Gonçalo

Em São Gonçalo, a prefeitura informou que também aguarda nova remessa de vacinas do Ministério da Saúde. De acordo com a prefeitura, havia previsão de chegada de novas doses para hoje. No entanto, o envio foi cancelado pelo governo do estado.

Em nota, a prefeitura disse que ontem começou a entregar as vacinas CoronaVac para imunização com a segunda dose de profissionais da saúde da linha de frente nos hospitais públicos e privados.

"A cidade continua aguardando novas remessas da vacina para voltar a vacinar profissionais de saúde que não fazem parte da rede municipal e idosos com mais de 90 anos", informou.

O secretário municipal de Saúde, André Carvalho Vargas, foi notificado pelo MPRJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) no sábado (6) para que a prefeitura cumpra o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19.

A prefeitura havia liberado a vacina para todos os profissionais de saúde - o que atraiu jovens de outros municípios. O MP pede que seja feito atendimento aos grupos prioritários ou que o gestor justifique a antecipação de outros grupos no cenário atual de escassez de vacinas.

O MPRJ ressaltou que "a contemplação dos profissionais da saúde de forma indiscriminada, tal como vem sendo realizada pelo Município de São Gonçalo, sem qualquer critério ou exigência de vínculo à unidade de saúde, em desalinho com os demais Municípios e com a própria essência do Plano Nacional de Vacinação, ocasiona uma intensa migração dos profissionais de saúde de outros municípios vizinhos em prejuízo dos munícipes de São Gonçalo".

Após a notificação do MP, a prefeitura afirmou que realizou mudanças no Plano de Ação Municipal para garantir que a população de São Gonçalo seja vacinada, além de evitar filas para a vacinação. "Os trabalhadores da área de saúde terão que comprovar vínculo com o trabalho no município ou comprovante de residência", informou.

Saúde diz estar trabalhando de forma "ágil"

Procurado, o Ministério da Saúde afirmou que está trabalhando em todas as frentes para assegurar que a vacinação contra a Covid-19 seja realizada "de forma ágil, segura e igualitária" e que a medida em que as doses forem adquiridas pela pasta serão prontamente distribuídas aos estados.

A pasta informou que o Brasil tem 354 milhões de doses de vacinas garantidas para 2021 por meio dos acordos com a Fiocruz, Butantan e Covax Facility.

"Até o momento, o estado do Rio de Janeiro recebeu 758.120 doses da vacina. Cabe esclarecer que o Ministério da Saúde distribui as doses aos estados, que são responsáveis pelo envio aos municípios, de acordo com necessidades e planejamentos locais".

Já a Secretaria Estadual de Saúde informou, através de nota, que enviará ainda hoje doses para as duas cidades de uma nova remessa da CoronaVac. Não foi divulgado o total que será destinado a cada município.

Saúde