PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
6 meses

Situação é desesperadora, não venham para Baixada Santista, diz prefeito

Rogério Santos, prefeito de Santos - Divulgação/Prefeitura de Santos
Rogério Santos, prefeito de Santos Imagem: Divulgação/Prefeitura de Santos

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/03/2021 18h12Atualizada em 22/03/2021 04h52

O prefeito de Santos, Rogério Santos (PSDB) fez um apelo para que turistas da capital não visitem as cidades do litoral sul do estado durante o feriado prolongado decretado pela prefeitura de São Paulo como medida para tentar conter o avanço do coronavírus na cidade. Nesta terça-feira, a Baixada Santista inicia lockdown que vale até o dia 04 de abril.

De acordo com o prefeito, durante os dias da semana semana, poderão funcionar padarias, supermercados, farmácias e pequenas vendas até às 20h. Nos fins de semana, no entanto, as restrições serão maiores: apenas farmácias e postos de gasolinas permanecerão abertos.

"É um recado bem claro para que não venham para a Baixada Santista", disse Rogério Santos em entrevista concedida esta tarde à CNN Brasil.

Santos definiu a situação vivida com a pandemia como "desesperadora" e afirmou que os governantes precisam agir com firmeza, mesmo que as medidas restritivas sejam "impopulares". Segundo ele, não há mais vagas de UTI em hospitais particulares na Baixada Santista.

"Os hospitais privados, dos planos de saúde aqui da Baixada, já não têm vagas. O sistema SUS ainda mantém algumas vagas. Jamais imaginei hospital privado pedindo ajuda pro sistema SUS, pedindo auxílio de vagas e pedindo medicamentos, principalmente o kit de entubação", disse ele, que afirmou ainda ser a hora de aplicar o que aprendemos com a pandemia em 2020.

"Já aprendemos, já sabemos o que precisa fazer. Quando chega num limite abre leitos, e quando extrapola de outros limites, fechar, ações restritivas", explicou Rogério.

Críticas ao feriado na capital

O prefeito da cidade de Santos voltou a criticar a decisão da prefeitura de São Paulo de decretar um feriado prologando. Segundo ele, este tipo de decisão deve ser tomada em conjunto, e os prefeitos da Baixada Santista não tinham conhecimento da medida.

"Não tivemos o prévio conhecimento. Fomos pegos de surpresa, aliás, estávamos em reunião quando chegou a notícia. Isso atinge diretamente", explicou ele.

Para tentar conter a ida de turistas para as cidades da Baixada Santista, o governo do estado de São Paulo montou diversas blitz nas estradas e suspendeu a Operação Descida no sistema Anchieta-Imigrantes, principal via de acesso da capital ao litoral sul.

Saúde