PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
5 meses

Brasil supera 30 milhões de vacinados contra covid, 14,29% da população

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/04/2021 20h06

O Brasil atingiu nesta terça-feira (27) a marca dos 30 milhões de vacinados contra a covid-19. No total, 30.259.475 brasileiros receberam pelo menos uma dose de imunizante contra a doença, o equivalente a 14,29% da população nacional. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseados nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, a primeira dose da vacina foi aplicada em 704.752 pessoas. Outras 862.184 receberam a segunda dose no mesmo período.

Até aqui, 13.989.783 brasileiros receberam as duas doses de vacina, de acordo com a recomendação dos laboratórios responsáveis pela produção da CoronaVac e da Oxford/AstraZeneca. O número corresponde a somente 6,61% da população do país.

O Rio Grande do Sul segue como o estado que, proporcionalmente, mais aplicou a primeira dose de imunizante em sua população: 19,16% de seus habitantes.

Em termos percentuais, o estado de São Paulo permanece na primeira posição entre aqueles que mais vacinaram com a segunda dose: 8,69% de sua população.

Fundo russo diz que Anvisa mentiu e reclama de influência dos EUA

O CEO do fundo russo responsável pela vacina Sputnik V, Kirill Dmitriev, disse que Anvisa (Agência da Vigilância Sanitária) mentiu e não foi profissional ao rejeitar a importação e o uso do imunizante desenvolvido pelo instituto Gamaleya, da Rússia. Ontem, a agência disse que, com os dados que obteve, identificou diversas "incertezas" em relação à segurança e eficácia da vacina. Dmitriev também fez críticas aos Estados Unidos.

Em pronunciamento à imprensa por videoconferência hoje, Dmitriev disse que "muitos dos comentários técnicos da Anvisa não são verdade". "Contradizem os documentos que foram submetidos. Para nós, essa situação é muito estranha", falou o CEO. Criticada pelo fundo russo, a decisão da Anvisa foi elogiada por cientistas.

O CEO chegou a indicar uma "falta de profissionalismo" da Anvisa ao justificar a necessidade do pronunciamento de hoje. "A única forma de lidar com a injustiça e a falta de profissionalismo é lançar uma luz", disse. "Contaram várias informações que não são corretas. A única coisa que a gente pode fazer é desmentir essas informações."

Dmitriev foi irônico ao dizer que gostaria de parabenizar os Estados Unidos "pelo seu sucesso aparente". A referência é a um posicionamento do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, que, no Relatório Anual de 2020, aconselhou o Brasil a rejeitar a vacina do Gamaleya.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Você utiliza a Alexa? O UOL fornece informações à inteligência artificial por voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados do número de brasileiros vacinados contra a covid-19. Para saber sobre a vacinação no país ou no seu estado com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, quantas pessoas já foram vacinadas no Brasil?", por exemplo, ou "Alexa, quantas pessoas foram vacinadas?". Nos encontramos lá!

.

Coronavírus