PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

BH suspende aplicação da 2ª dose de CoronaVac por falta de vacinas

Doses da Coronavac, vacina contra a covid-19 produzida pelo Instituto Butantan, estão em falta em Belo Horizonte (MG) - Marlon Costa/FuturaPress/Estadão Conteúdo
Doses da Coronavac, vacina contra a covid-19 produzida pelo Instituto Butantan, estão em falta em Belo Horizonte (MG) Imagem: Marlon Costa/FuturaPress/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo*

03/05/2021 12h15Atualizada em 03/05/2021 16h57

A Prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais, informou que suspendeu a aplicação da 2ª dose da CoronaVac, vacina contra a covid-19, por falta de doses do imunizante no município. A vacinação da 1ª e 2ª dose com o imunizante da farmacêutica AstraZeneca/Oxford segue normalmente e idosos com mais de 60 anos podem ser vacinados a partir de hoje na capital mineira.

Segundo a prefeitura, a Secretaria Municipal de Saúde não reservou as doses de CoronaVac — que é produzida pelo Instituto Butantan —- para o público de 64, 65, 66 e 67 pois seguiu "a orientação do PNI (Plano Nacional de Imunização)", produzido pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. O documento possui as diretrizes que buscam apoiar as Unidades Federativas e os municípios no planejamento e na operacionalização da vacinação contra a covid-19.

"Tão logo as vacinas sejam entregues, haverá continuidade da aplicação de segundas doses do imunizante", declarou o órgão em nota enviada ao UOL.

A prefeitura ainda ponderou que é "imprescindível que novas remessas de vacinas sejam entregues pelo Ministério da Saúde" e destacou que o município possui disponibilidade de profissionais da saúde e dos insumos necessários para o prosseguimento da imunização dos moradores.

"É importante esclarecer que a aplicação da segunda dose para além dos 28 dias não compromete a eficácia clínica da vacina."

A aplicação da primeira e segunda dose do imunizante da farmacêutica AstraZeneca segue normalmente no município. Segundo a prefeitura, a aplicação da segunda dose da AstraZeneca em idosos acima de 89 anos teve início no sábado (1º).

O órgão ainda reforçou que, no momento, "não há falta de doses deste imunizante [AstraZeneca no município]" e explicou que "a população está sendo informada nas unidades de saúde sobre o aguardo da chegada de novas doses para a continuação da campanha de vacinação".

O UOL entrou em contato com o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan para saber se há previsão da entrega de novas remessas do imunizante no município, mas não teve retorno até a última atualização desta matéria.

*Com informações de Luciana Amaral e Lucas Borges Teixeira, do UOL, em Brasília e em São Paulo

Coronavírus