PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

BH: Kalil diz que prefeitura vai financiar vacina contra covid-19 da UFMG

Vacina da UFMG pode se tornar a primeira contra a covid-19 100% brasileira - Amira Hissa/Prefeitura de Belo Horizonte
Vacina da UFMG pode se tornar a primeira contra a covid-19 100% brasileira Imagem: Amira Hissa/Prefeitura de Belo Horizonte

Colaboração para o UOL

28/04/2021 17h23

Alexandre Kalil (PSD), prefeito de Belo Horizonte, informou durante entrevista ao 'MG1', da TV Globo Minas, que a prefeitura da capital mineira vai ajudar a financiar a vacina que está sendo desenvolvida pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

"Olha, voltar pra população, a UFMG é investimento, né. Isso é investimento em ciência. A UFMG foi escolhida como universidade federal número 1 do Brasil, um dado desta semana, e a prefeitura garantiu, sim, a continuidade de plano tão importante para população, porque não sabemos se vamos precisar de mais vacinas no ano que vem, ou 2023, ou 2024. E o desamparo da universidade federal não pode ficar. Então conveniamos com a UFMG, isso está sendo feito ainda, documentado, um convênio, que Belo Horizonte vai garantir, sim, a fase 2 de estudos da vacina da UFMG. Da qual BH é grande parceira, haja vista que a UFMG disponibilizou um superfreezer caso vacinas da Pfizer chegassem à cidade. É motivo de orgulho de BH e Minas Gerais. Essa noticia é verdadeira, convênio está sendo feito", afirmou Kalil.

No começo do mês de abril, a reitora da UFMG, Sandra Goulart, se reuniu com parte da bancada de Minas Gerais na Câmara dos Deputados para pedir apoio e conseguir o financiamento de R$ 30 milhões para dar continuidade à pesquisa da vacina.

Volta às aulas

Alexandre Kalil se reuniu com outros prefeitos de cidades que compõem a região metropolitana de Belo Horizonte hoje para discutir a volta às aulas presenciais. O prefeito de BH afirmou à Globo Minas que vai começar um plano de "volta gradual" e preparação de uma "bolha" para os alunos.

"Estamos tentando fazer uma abertura gradual, cada um de acordo com o tamanho da cidade, com o impacto que trará na circulação de pessoas, muito bem estudada. Saímos alinhados, sim. Que a volta às aulas é importante. Preparamos não só nossas escolas quanto as mais de 200 creches, reformamos todas, antecipamos dinheiro, para que janelas fossem abertas, e vamos criar bolhas para que o aluno passe a circular em número pequeno, com os educadores, com distanciamento social, com células ou bolhas. Sem dar o primeiro passo, não vamos conseguir abrir escola num tempo que a gente quer", disse.

O prefeito também afirmou que os alunos não serão obrigados a voltar, porém, os servidores, sim.

"As crianças não são obrigadas a frequentar a escola. Os servidores, sim, serão obrigados a estarem à espera das crianças. Serão em 3 dias, e 2 dias; para criança que nunca frequentou a escola, 1 dia, será escalonada. Não tenho aqui o plano detalhado em mãos, mas a secretaria tem. Mas a criança não é obrigada a retornar à escola. O que é obrigado a retornar à escola e a creches conveniadas são os professores, faxineiros, enfim, toda a equipe à espera de quem quiser retornar às escolas", afirmou.

Coronavírus