PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

SP, RJ e outros estados suspendem uso da vacina da AstraZeneca em grávidas

Do UOL, em São Paulo *

11/05/2021 08h03Atualizada em 11/05/2021 17h14

Diversos governos estaduais decidiram suspender hoje a aplicação da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca para gestantes, seguindo orientação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O Ministério da Saúde informou que está investigando a morte de uma gestante vacinada com o imunizante no Rio de Janeiro, mas ressaltou que "a ocorrência de eventos adversos é extremamente rara e inferior ao risco apresentado pela covid-19".

Em entrevista à TV Globo, Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde de São Paulo, que suspendeu o uso da vacina, disse que grávidas já foram vacinadas com outros imunizantes contra a covid-19, em outros grupos prioritários, e não apresentaram problemas.

Nós tivemos outras grávidas que estavam linkadas em outros grupos de essencialidade - saúde, segurança - que receberam outras vacinas e foram acompanhadas. Acompanhamos para saber se houve eventos adversos e não houve, não nos trouxe problema algum.
Jean Gorinchteyn, em entrevista à TV Globo

Já o secretário de Saúde da capital paulista, Edson Aparecido, afirmou à GloboNews que aguarda um novo posicionamento do Ministério da Saúde e o recebimento de vacinas de outras farmacêuticas para seguir imunizando gestantes.

"O mais importante é não aplicarmos [vacinas da AstraZeneca] em gestantes. Puérperas não têm qualquer problema: vão tomar vacina a partir de hoje", declarou Edson Aparecido.

As puérperas, porém, não poderão se vacinar contra a covid-19 com a vacina da AstraZeneca de Pernambuco, segundo determinação da Secretaria de Saúde local, que disse aguardar "orientação oficial do Ministério da Saúde sobre o assunto".

A mesma situação acontece no Rio Grande do Sul, onde o governo emitiu nota recomendando a suspensão temporária da aplicação da vacina da AstraZeneca em gestantes e puérperas, "até que seja esclarecido o possível evento adverso pós-vacinação".

Rio de Janeiro, DF e outros

Já no Rio de Janeiro, a Secretaria da Saúde recomendou que os municípios fluminenses suspendam a vacinação de gestantes a partir de hoje, "até que o Programa Nacional de Imunizações divulgue novas recomendações para esse grupo".

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal também resolveu suspender a aplicação da vacina da AstraZeneca em gestantes. Ao UOL, a pasta disse que a decisão segue até que o Ministério da Saúde defina novas recomendações.

A Secretaria de Saúde do Piauí optou por não suspender o uso da vacina, mas pediu aos municípios que orientem as gestantes a procurarem "seus médicos para que façam avaliação sobre o uso ou não do imunizante [da AstraZeneca]".

Amazonas e Mato Grosso decidiram, por ora, não suspender a imunização de grávidas contra a covid-19 com doses da vacina da AstraZeneca e disseram que vão aguardar orientações do Ministério da Saúde.

* Com informações da Estadão Conteúdo

Coronavírus