PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

SP libera 'xepa' da vacina a quem tem comorbidade a partir de 18 anos

Colaboração para o UOL

13/05/2021 14h34Atualizada em 13/05/2021 21h48

A Prefeitura de São Paulo liberou a aplicação de doses da vacina contra o novo coronavírus que sobrarem no fim do dia nos postos de vacinação para profissionais de saúde ou quem tem comorbidade e for maior de 18 anos.

Para ser beneficiada com a chamada "xepa" da imunização, a pessoa tem que ser moradora da área de abrangência da unidade de saúde.

Segundo a prefeitura, a unidade de saúde deverá manter uma lista de quem poderá receber as doses e fazer a convocação delas por telefone. O município ressalta que nem sempre há doses excedentes no final de cada dia.

"A medida segue as diretrizes do instrutivo da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa): quando houver frasco de vacina aberto no fim do expediente, para que não haja qualquer desperdício de dose, ela deve ser aplicada", informou a prefeitura.

O município afirma ainda que caso a unidade de saúde não consiga localizar alguém para receber a dose deverá acionar a supervisão técnica de saúde da região para que uma medida seja discutida.

A intenção da prefeitura é fazer com que nenhuma dose da vacina contra a covid-19 seja desperdiçada.

Grupos vacinados

Atualmente, a capital paulista vacina, dentre outros grupos, pessoas de 55 a 59 anos que tenham alguma comorbidade.

Para ter direito à dose, a pessoa tem que apresentar o comprovante de condição de risco (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica) contendo o CRM do médico (com data de emissão máxima de 2 anos).

Veja a lista de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde:

  • Doenças Cardiovasculares
  • Insuficiência cardíaca (IC)
  • Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensiva
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e Pericardiopatias
  • Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênitas no adulto
  • Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
  • Diabetes mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão arterial resistente (HAR)
  • Hipertensão arterial - estágio 3
  • Hipertensão arterial - estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade
  • Doença Cerebrovascular
  • Doença renal crônica
  • Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer)
  • Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)
  • Obesidade mórbida
  • Cirrose hepática

Outros grupos que estão sendo imunizados na cidade de São Paulo.

  • Pessoas com síndrome de Down (18 a 59 anos)
  • Pacientes em terapia renal substitutiva (18 a 59 anos)
  • Pessoas transplantadas imunossuprimidas (18 a 59 anos)
  • Metroviários e ferroviários (área de segurança, manutenção, limpeza e agentes de estação na linha de frente com 47 anos ou mais, além de operadores de trem de todas as idades)
  • Pessoas com deficiência permanente beneficiários do BPC (55 a 59 anos)
  • Idosos a partir de 60
  • Profissionais de saúde e da educação com 47 anos ou mais
  • Trabalhadores de cemitérios públicos e privados
  • Trabalhadores no atendimento direto a vulneráveis das secretarias municipais de Direitos Humanos e Cidadania e de Direitos Humanos e Cidadania
  • Pessoas em situação de rua (com mais de 60 anos)
  • População indígena vivendo em terras indígenas
  • Quilombolas
  • Pessoas com 18 anos ou mais com deficiência, residentes em residências inclusivas (institucionalizadas)
  • Pessoas com 60 anos ou mais residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas)

Coronavírus