PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid-19: Ceará registra dois casos da variante mu

A OMS classificou a mu, que foi encontrada inicialmente na Colômbia, como uma "variante de muito interesse", - iStock
A OMS classificou a mu, que foi encontrada inicialmente na Colômbia, como uma "variante de muito interesse", Imagem: iStock

Colaboração para o UOL

15/09/2021 22h23

A variante mu do coronavírus foi identificada em duas mulheres no Ceará, segundo a Secretaria de Saúde do estado. Ambas tinham viajado para a Colômbia, onde essa mutação da covid-19 foi encontrada inicialmente. Amazonas e Minas Gerais também confirmaram casos da mu.

As duas mulheres, de 45 e 47 anos, tomaram apenas uma dose da vacina contra o vírus, moram em Fortaleza e desembarcaram da Colômbia em 6 de julho com sintomas de gripe. Com suspeita de covid, elas foram até unidades de saúde e fizeram isolamento quando a infecção estava ativa.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou a mu como uma "variante de muito interesse", enquanto a EMA (Agência Europeia de Medicamentos) disse que a mutação é "potencialmente preocupante", apesar de não ter tantos casos registrados quanto a delta.

Marco Cavaleri, chefe de estratégia de vacinas do regulador europeu, disse que o mais preocupante é a possibilidade da mu ser resistente aos imunizantes. "Mas não temos dados que mostrem que a variante mu se espalha tão amplamente ou que tem o potencial de ultrapassar a variante delta como a cepa dominante", afirmou.

Além da variante encontrada na Colômbia, o Ceará registrou 122 pessoas infectadas com a delta. Desses, 39 não possuem histórico de viagem recente, ou seja, a transmissão foi comunitária. O estado teve um óbito causado pela mutação.

O Ceará tenta controlar a delta com um centro de testagem no Aeroporto Internacional de Fortaleza, que identificou 30 dos 122 casos da variante. O rastreamento também verificou que mais da metade das infecções vieram do Rio de Janeiro.

O Brasil teve hoje 793 mortes por covid-19 e a média móvel de mortes foi a mais alta dos últimos nove dias. Desde o começo da pandemia, já foram registradas 588.640 mortes pela doença. Também hoje, o país chegou a 35,98% de pessoas com vacinação completa contra o vírus. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Coronavírus