PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
15 dias

Michelle Bolsonaro tomou vacina nos EUA porque médico sugeriu, diz governo

Michelle e Jair Bolsonaro tiveram passagens a Foz do Iguaçu, para lua de mel, bancadas pela Câmara - Carolina Antunes/PR
Michelle e Jair Bolsonaro tiveram passagens a Foz do Iguaçu, para lua de mel, bancadas pela Câmara Imagem: Carolina Antunes/PR

Do UOL, em São Paulo

24/09/2021 20h16Atualizada em 24/09/2021 21h34

O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) explicou através de comunicado, divulgado na noite de hoje, que a primeira-dama Michelle Bolsonaro, de 39 anos, se vacinou nos Estados Unidos por sugestão de um médico. Pelas regras do governo do Distrito Federal, local onde mora, pessoas de sua faixa-etária já poderiam ter tomado a vacina desde o mês de julho.

Antes de retornar ao país, [Michelle Bolsonaro] submeteu-se ao teste de PCR, obrigatório para autorização de embarque e, durante a realização da testagem, a Primeira-Dama foi indagada pelo médico se ela gostaria de aproveitar a oportunidade para ser vacinada. Como já pensava em receber o imunizante, resolveu aceitar. Trecho da nota da Secom

No dia 22 de julho, o GDF distribuiu comunicado informando que disponibilizaria mais de 100 mil doses de vacina contra a covid-19 para imunizar pessoas acima de 37 anos. O mutirão ocorreria entre os dias 23 e 25 daquele mês. Na nota, a Secom não explica por que a primeira-dama não se vacinou no Brasil antes e só decidiu se imunizar agora, e nos Estados Unidos.

Apesar de não ter tomado a vacina no DF, que estava disponível para a sua faixa etária há dois meses, Michelle disse "respeitar e admirar" o SUS (Sistema Único de Saúde).

Durante live semanal, realizada na noite de ontem, o presidente Bolsonaro confirmou que a primeira-dama havia sido vacinada contra a covid-19. Segundo Bolsonaro, que diz não ter sido imunizado ainda, ela lhe perguntou se deveria ou não tomar a vacina —o presidente, no entanto, não contou o que respondeu.

"Olha o que aconteceu com minha esposa agora nos Estados Unidos. Veio conversar comigo: 'Tomo ou não tomo a vacina?'. Dei minha opinião, não vou falar aqui qual foi. Ela tomou a vacina. É maior de idade, tem 39 anos, e sabe o que faz", disse Bolsonaro, na ocasião.

Michelle integrou a comitiva do presidente Bolsonaro que viajou a Nova York (EUA) para participar da 76ª Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas). Ao todo, três pessoas (entre 18) da comitiva testaram positivo: o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e um diplomata que ajudou a organizar a viagem, também contraíram a doença.

Nesta sexta-feira (24), os ministros Bruno Bianco, da AGU (Advocacia-Geral da União) e Tereza Cristina, da Agricultura, que não estiveram na viagem, mas que circularam em ambientes nos quais estiveram integrantes da comitiva, também confirmaram que estão com o novo coronavírus.

Leia nota na íntegra

A Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) informa que a Primeira-Dama, senhora Michelle Bolsonaro, integrante da Comitiva Presidencial à Nova Iorque (EUA), deslocou-se àquele país para acompanhar o senhor Presidente da República nas agendas oficiais, bem como para cumprir uma agenda, sobre doenças raras, na Missão do Brasil na Organização das Nações Unidas.

Antes de retornar ao país, submeteu-se ao teste de PCR, obrigatório para autorização de embarque e, durante a realização da testagem, a Primeira-Dama foi indagada pelo médico se ela gostaria de aproveitar a oportunidade para ser vacinada. Como já pensava em receber o imunizante, resolveu aceitar.

A Primeira-Dama reitera a sua admiração e respeito ao sistema de saúde brasileiro, em especial, aos profissionais da área que se dedicam, incansavelmente, ao cuidado da saúde do povo.

Saúde