PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Bolsonaro diz que Michelle tomou vacina contra covid-19 nos Estados Unidos

Do UOL, em São Paulo

23/09/2021 20h12Atualizada em 24/09/2021 16h39

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse hoje, durante sua live semanal, que a primeira-dama Michelle Bolsonaro foi vacinada contra a covid-19. Segundo Bolsonaro, que diz não ter sido imunizado ainda, ela lhe perguntou se deveria ou não tomar a vacina — o presidente, no entanto, não contou o que respondeu.

Em entrevista à revista Veja publicada nesta sexta-feira (24), o chefe do Executivo confirmou que Michelle se vacinou nos Estados Unidos — durante a live não havia ficado claro se ela foi vacinada antes ou depois de viajar a Nova York, nem quando essa conversa entre os dois teria acontecido.

"Olha o que aconteceu com minha esposa agora nos Estados Unidos. Veio conversar comigo: 'Tomo ou não tomo a vacina?'. Dei minha opinião, não vou falar aqui qual foi. Ela tomou a vacina. É maior de idade, tem 39 anos, e sabe o que faz", disse Bolsonaro.

À revista, o presidente disse que tomar vacina "é uma decisão pessoal". "Minha mulher, por exemplo, decidiu tomar nos Estados Unidos. Eu não tomei."

Sobre levar a filha caçula, Laura, para ser vacinada, o presidente afirmou apenas que teria que discutir a possibilidade com Michelle. "Agora, se for para vacinar a Laura, com 10 anos de idade, aí vou conversar com ela e vamos decidir", acrescentou.

Por enquanto, apenas maiores de idade — com qualquer vacina — e adolescentes de 12 a 17 anos — com o imunizante da Pfizer — podem ser vacinados no Brasil, segundo determinado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Bolsonaro costuma gravar sua live semanal ao lado de convidados — ministros e outras autoridades, na maior parte das vezes —, mas hoje apareceu sozinho na transmissão. Isso porque o presidente está cumprindo isolamento no Palácio da Alvorada desde que voltou dos Estados Unidos, onde o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi diagnosticado com covid-19.

Ontem, o secretário de comunicação do Planalto, André Costa, informou que o presidente voltará a ser testado no quinto dia útil após o último contato com Queiroga.

Coronavírus