PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
4 meses

Pfizer entrega 2º lote da vacina pediátrica, com 1,2 milhão de doses

Siga o UOL no

Do UOL, em Brasília

16/01/2022 11h53

A Pfizer entregou hoje, no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), mais 1,2 milhão de doses da vacina pediátrica comprada pelo Ministério da Saúde. A entrega do segundo lote de imunizantes foi antecipada pela empresa, já que as vacinas só chegariam ao Brasil no dia 20 de janeiro. A antecipação permitirá que os estados recebam as doses até terça-feira (18).

"Depois de completar o esquema vacinal contra a Covid-19 de mais de 145 milhões de pessoas a partir dos 12 anos, o Brasil recebe, agora, reforço para a imunização das crianças de cinco a 11 anos. Mais 1,2 milhão de doses da Pfizer desembarcaram no país na manhã deste domingo", afirma o Ministério da Saúde por meio de nota.

A primeira remessa da vacina pediátrica, também composta por 1,2 milhão de doses, chegou ao país na última quinta-feira (13) e foi distribuída aos estados e o Distrito Federal. Por conta dos imunizantes, 11 capitais já começaram a imunização do público infantil.

Já começou a vacinação em:

  • Aracaju (SE);
  • Belo Horizonte (MG);
  • Campo Grande (MS);
  • Florianópolis (SC);
  • Fortaleza (CE);
  • João Pessoa (PB);
  • Recife (PE);
  • Salvador (BA);
  • São Luís (MA);
  • Vitória (ES);
  • Brasília (DF).

Ao total, a Pfizer deverá entregar 3,7 milhões de doses em janeiro. Também há o compromisso da empresa em entregar 20 milhões da vacina pediátrica no primeiro trimestre deste ano. A distribuição dos imunizantes aos estados tem sido feita pelo Ministério da Saúde.

O intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina pediátrica da Pfizer será de quatro semanas, mesmo a bula tendo recomendado um período de três semanas de intervalo.

Vacinação infantil iniciada

Mesmo iniciando a vacinação nesta segunda-feira (17), São Paulo foi o estado a vacinar a primeira criança em um ato simbólico na última sexta-feira (14).

Davi Seremramiwe Xavante, de oito anos, foi a primeira criança vacinada no Brasil. Indígena da etnia xavante, o menino realiza tratamento médico para uma doença motora rara na cidade de São Paulo. O caso de Davi está sendo acompanhado por especialistas do Instituto da Criança.

A vacinação do menino foi comemorada no mesmo dia pelo pai, o cacique Jurandir, que defendeu a imunização infantil. Segundo ele, Davi Xavante serviu de exemplo para outras crianças.

"Estou muito feliz pelo Davi ter tomado a primeira dose, ser um exemplo para a criançada de cinco a 11 anos. Que o resto do Brasil possa fazer essa vacinação para salvar, para que amanhã possamos ter alegria, sorriso", afirmou.

Coronavírus