PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Veja o calendário de vacinação infantil divulgado pelo governo de SP

Caetano de Jesus Martins Moreira, 9, foi a primeira criança a ser vacinada hoje - Divulgação/Governo de São Paulo
Caetano de Jesus Martins Moreira, 9, foi a primeira criança a ser vacinada hoje Imagem: Divulgação/Governo de São Paulo

Ana Paula Bimbati, Leonardo Martins e Pedro Vilas Boas

Do UOL, em São Paulo

20/01/2022 15h48Atualizada em 20/01/2022 21h57

O governo de São Paulo divulgou hoje (20) o calendário de vacinação infantil contra covid-19 no estado. Com a liberação da aplicação da CoronaVac no público entre 6 e 17 anos, o plano é imunizar, com a primeira dose, todas as crianças de 5 a 11 anos do estado em até três semanas.

Após a liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o Instituto Butantan anunciou a liberação de 4 milhões de doses para o estado de São Paulo e o governador João Doria (PSDB) organizou um evento para dar início à campanha de vacinação.

Antes, apenas a vacina da Pfizer estava autorizada para crianças de 5 a 11 anos. A Anvisa havia liberado o uso do imunizante em dezembro, mas a vacinação começou um mês depois, no público com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas.

São os municípios que definem o calendário exato de vacinação, de acordo com a chegada dos lotes de imunizantes. Mas o governo paulista divulgou a previsão de aplicação da primeira dose:

  • 20 a 30 de janeiro: crianças com comorbidades, indígenas, quilombolas de 5 a 11 anos, e crianças de 9 a 11 anos.
  • 31 de janeiro a 10 de fevereiro: crianças de 5 a 8 anos e com comorbidades.

O intervalo para segunda dose muda de acordo com o imunizante:

  • Da CoronaVac são 28 dias,
  • Da Pfizer, oito semanas.

Ao UOL, o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, disse que iniciará a vacinação com a CoronaVac na capital assim que a prefeitura receber as doses do governo estadual.

Segundo ele, a previsão é que as doses cheguem até amanhã. Se o prazo se confirmar, a vacinação começará no sábado.

Em coletiva de imprensa, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que o estado conta com 5.200 postos de vacinação e mais 300 escolas públicas para aplicar o imunizante em crianças.

Saúde