PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Brasil liberou 4ª dose a imunossuprimidos; Israel e Chile, para mais velhos

4.dez.2021 - Enfermeira aplica vacina em posta da região central de SP - Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo
4.dez.2021 - Enfermeira aplica vacina em posta da região central de SP Imagem: Aloisio Mauricio/Estadão Conteúdo

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

09/02/2022 14h43

A aplicação da quarta dose da vacina contra covid-19 está liberada, no Brasil, para imunossuprimidos. Por enquanto, a maior parte da população ainda toma a terceira dose —considerada um reforço. Em outros países, como Israel e Chile, a quarta dose já está liberada para pessoas mais velhas. No Chile, a partir dos 55 anos. Em Israel, para a população de 60 anos ou mais.

O debate sobre a quarta dose surgiu hoje (9), depois de declaração do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). "Vamos adotar em São Paulo a quarta dose, independentemente de haver ou não recomendação do Ministério da Saúde", disse o governador, em entrevista à rádio Eldorado.

Mais tarde, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Doria afirmou que ainda não existe um cronograma para a aplicação deste reforço.

A quarta dose a imunossuprimidos foi liberada em nota técnica do Ministério da Saúde, em dezembro. Fazem parte deste grupo:

  • As pessoas com imunodeficiência primária grave;
  • Em quimioterapia para câncer;
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas em uso de drogas imunossupressoras; e
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids.

Neste caso, uma quarta dose de vacina é indicada com intervalo de quatro meses da primeira dose de reforço. As vacinas usadas nesses casos devem ser Pfizer, Janssen ou AstraZeneca.

Pesquisas indicam reforço na proteção, diz Israel

Israel começou a aplicação de uma quarta dose para a população geral em janeiro deste ano. O país afirma ter estudos que apontam para uma proteção melhor com este reforço.

Uma quarta dose da vacina contra covid-19 administrada em pessoas com mais de 60 anos as tornou três vezes mais resistentes a doenças graves do que pessoas da mesma faixa etária vacinadas com três doses, segundo o Ministério da Saúde israelense.

Na última segunda-feira (7) foi a vez do Chile ampliar a aplicação de quarta dose em meio à pressão pelo aumento de casos, internações e mortes devido à variante ômicron, São vacinadas pessoas com mais de 55 anos.

Em janeiro, a dose já estava liberada para imunossuprimidos, profissionais de saúde e idosos que moram em casa de repouso.

Saúde