PUBLICIDADE
Topo

Saúde

SP vai analisar se desobrigará máscaras em locais fechados em 2 semanas

Anna Satie e Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

09/03/2022 13h53Atualizada em 09/03/2022 14h58

Logo após desobrigar o uso de máscaras em ambientes abertos no estado, o governo de São Paulo prometeu analisar, em duas semanas, se há condições sanitárias de liberar o uso do item de proteção também em ambientes fechados.

O governador, João Doria (PSDB), afirma que esse aval dependerá dos indicadores de casos, internações e óbitos pela covid-19. Caso eles continuem em queda, a flexibilização será ampliada.

"Essa é uma análise que está sendo feita de forma muito dedicada [e continuará] ao longo das duas próximas semanas. Havendo continuidade dos bons resultados que estamos obtendo aqui em São Paulo, a queda do número de internações e óbitos, e do aumento extraordinário da vacinação de crianças e adultos, podemos antes do final deste mês de março anunciar a liberação completa do uso de máscaras", disse Doria.

Na sequência, no entanto, o governador pediu cautela.

Mas um passo de cada vez, sempre com serenidade, equilíbrio, respeitando a ciência e observando os dados todos os dias."
João Doria (PSDB), governador de São Paulo

O coordenador-executivo do Comitê Científico, João Gabbardo, explicou a razão de liberar, primeiro, apenas ambientes abertos. "Todas as evidências científicas demonstram que a possibilidade de transmissão da doença em ambientes fechados é muito superior à possibilidade de transmissão em ambientes abertos", afirmou.

O que foi liberado hoje

Doria anunciou a desobrigação do uso de máscara de proteção contra covid-19 em ambientes abertos em todo o estado a partir de hoje (9). Também confirmou a liberação de 100% da capacidade de ocupação em eventos realizados em ambientes abertos, ainda que possa haver aglomeração —como estádio de futebol e shows musicais.

Durante entrevista coletiva do lado de fora do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo, ele assinou um decreto que retira a obrigação do item de proteção em ruas, praças, parques, pátios de escola, estádios de futebol, centros abertos de eventos, autódromos e demais áreas livres.

O uso continua obrigatório em ambientes fechados, como:

  • Salas de aula,
  • Transporte público,
  • Escritórios,
  • Cinemas e teatros.

"As pessoas que ainda desejarem usar a máscara, por óbvio, poderão fazê-lo como medida protetiva, como decisão individual, mas não mais por obrigatoriedade, determinação legal do governo de São Paulo", disse Doria.

Paulo Menezes, chefe do Comitê Científico que auxilia Doria na tomada de decisões referentes à pandemia de covid, recomendou que as pessoas se protejam em situações de maior risco de contágio, como aglomerações. Doria, porém, destacou que o uso de máscaras em ambientes abertos, mesmo que lotados, agora é uma "recomendação" e não uma "obrigação" do governo estadual.

Por outro lado, Gabbardo esclareceu que eventos que preveem aglomeração devem continuar com a exigência do comprovante de imunização.

"Ainda vamos exigir o certificado de vacinação para esses eventos que estavam definidos anteriormente, eventos que aglomeram pessoas, que tem quantidade de pessoas de forma mais significativa. Todos esses espaços devem continuar exigindo a vacinação", afirmou.

Saúde