PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

EUA registram primeiro caso de infecção por varíola dos macacos

Varíola dos macacos - SCIENCE PHOTO LIBRARY
Varíola dos macacos Imagem: SCIENCE PHOTO LIBRARY

Do UOL, em São Paulo

19/05/2022 15h24

Os Estados Unidos confirmaram, ontem, o registro do primeiro caso de varíola dos macacos em humanos de seu território. O infectado seria um homem do estado de Massachusetts. O CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), órgão nacional, investiga o ocorrido com as autoridades de saúde locais.

Internado em condição de saúde estável e em isolamento há pelo menos uma semana, o homem teria viajado ao Canadá recentemente.

Em coletiva de imprensa, o médico responsável pelo caso, Paul Biddinger, afirmou que a equipe de saúde está surpresa, pois a varíola dos macacos é uma doença extremamente rara em humanos. Contudo, já há casos confirmados no Reino Unido, na Espanha, Portugal e agora Estados Unidos.

O paciente está com a variante da varíola da África Ocidental, conhecida por ser menos grave do que as demais. Um rastreamento de contatos já está sendo feito para avaliar se há alguém com quem ele se encontrou com sintomas da doença.

No Canadá, não há nenhum caso confirmado até o momento, segundo as próprias autoridades canadenses que foram informadas do ocorrido.

A CDC investiga se há algum fator comum entre as pessoas infectadas. O órgão notou a prevalência da doença em pessoas do sexo masculino que se relacionaram sexualmente com outros homens.

No caso das transmissões no Reino Unido, por conta de não haver qualquer proximidade entre os doentes, existe a hipótese de transmissão comunitária, ou seja, adquirida dentro do próprio país. Somente um infectado teria viajado para a Nigéria.

A varíola dos macacos nunca havia sido descrita anteriormente como uma infecção sexualmente transmissível, embora possa ser transmitida por contato direto durante o sexo. A maioria das pessoas se recupera em poucas semanas.

O que é a varíola dos macacos e quais são seus sintomas?

A varíola dos macacos é uma parente da varíola, doença erradicada em 1980. Menos transmissível e menos mortal, ela geralmente dura de duas a quatro semanas e os sintomas, mais leves, podem aparecer de cinco a 21 dias após a infecção.

Febre, dores de cabeça, dores musculares, dores nas costas, calafrios, exaustão e linfonodos inchados podem indicar a infecção pela doença.

Este último sintoma é normalmente o que ajuda os médicos a distinguir a varíola dos macacos da catapora ou da varíola, segundo a OMS. Passada a febre, pode surgir uma erupção cutânea, que tende a se desenvolver de um a três dias depois, geralmente.

O vírus da varíola dos macacos pertence ao gênero Orthopoxvirus da família Poxviridae. Foi descoberto pela primeira vez em 1958, quando dois surtos de uma doença semelhante à varíola ocorreram em macacos de laboratório mantidos para pesquisa, daí seu nome. Mas os macacos podem não ser os culpados, e o hospedeiro natural da varíola dos macacos permanece desconhecido, embora a OMS diga que os roedores são os mais prováveis.

Saúde