PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

Ministério da Saúde passa a recomendar dose de reforço para adolescentes

Ministério da Saúde passa a recomendar dose de reforço para adolescentes - Reprodução/Instagram
Ministério da Saúde passa a recomendar dose de reforço para adolescentes Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em Brasília

27/05/2022 21h53

Em nota técnica divulgada hoje, o Ministério da Saúde ampliou a recomendação da dose de reforço contra a covid-19 para adolescentes, entre 12 e 17 anos. A vacina usada deve ser, preferencialmente, da Pfizer. Em caso de falta desse imunizante, o Ministério recomenda a aplicação da CoronaVac.

No caso dos adolescentes imunocomprometidos, apenas a vacina da Pfizer deve ser utilizada. Apesar disso, a Coronavac também poderá ser usada caso haja indisponibilidade da vacina da Pfizer, informa a recomendação. A recomendação também vale para adolescentes gestantes e puérperas.

"Os dois imunizantes são autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para essa faixa etária. A recomendação também vale para adolescentes gestantes e puérperas", divulgou a pasta.

A pasta informa que o reforço ao esquema vacinal de duas doses se tornou necessário devido "à redução da resposta imune às vacinas observadas em alguns estudos e a circulação de novas variantes em um cenário onde ainda não atingimos coberturas vacinais ótimas".

Os técnicos da Saúde também pontuaram que essa recomendação é baseada em estudos que demonstraram que "existe uma tendência à redução da efetividade das vacinas contra a covid-19 com o passar do tempo". Por isso, a conclusão da nota é de que "deve-se utilizar os imunizantes disponíveis no país para garantir doses de reforço para todos os indivíduos elegíveis".

Saúde