Trump pede fechamento da Fundação Clinton

Washington, 22 Ago 2016 (AFP) - Donald Trump convocou nesta segunda-feira (22) Bill e Hillary Clinton a fechar a importante fundação beneficente que captou US$ 2 bilhões desde sua criação, tentando apresentar sua rival nas presidenciais como uma mulher volúvel e corrupta.

"Os Clinton passaram décadas enchendo o bolso, se ocupando de seus doadores, em vez do povo americano", declarou o candidato republicano à Casa Branca em um comunicado.

"Agora está claro que a Fundação Clinton é a empresa mais corrupta da história política. Deve ser fechada imediatamente", defendeu.

Criada pelo ex-presidente democrata quando abandonou a Casa Branca, em 2001, a Fundação Clinton captou fundos nos Estados Unidos e no exterior, de particulares, empresas e governos.

Essas doações geraram dúvidas sobre eventuais conflitos de interesses quando doadores também tiveram questões a defender ante o Departamento de Estado, na época em que Hillary era chefe da diplomacia americana.

Apesar das limitações impostas, isso não impediu que algumas doações escapassem dos controles que se supõe que a administração exerça.

Em resposta à crescente polêmica, o ex-presidente Bill Clinton divulgou uma longa mensagem nesta segunda (22), detalhando os apoios da fundação para "eliminar as preocupações legítimas sobre potenciais conflitos de interesses".

O ex-presidente Clinton garantiu que vai renunciar a seu cargo no conselho administrativo da fundação.

Bill Clinton disse que serão aceitas apenas as doações provenientes de cidadãos americanos, ou de residentes permanentes, ou de fundações dos Estados Unidos.

As ações da fundação financiadas por governos estrangeiros serão transferidas para "outras organizações que se encarregaram de fazer esse trabalho", disse o ex-presidente.

A grande reunião anual, conhecida como Iniciativa Global Clinton, que todo ano reúne milhares de políticos, associações e empresas do mundo inteiro em Nova York, acontecerá pela última vez em setembro.

A fundação continuará com suas outras atividades, particularmente as dos Estados Unidos.

Na quinta-feira passada (18), Bill já havia anunciado que, se sua mulher for eleita em novembro, sua fundação não aceitará mais doações provenientes do exterior, ou de empresas.

O diretor de campanha de Hillary Clinton, Robby Mook, reiterou no domingo que a fundação fornece tratamentos contra a Aids a mais de 10 milhões de pessoas e reduziu o custo dos medicamentos contra a malária em 90%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos