PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Guarda costeira resgata 6.500 refugiados na costa líbia

Refugiados, a maioria da Eritreia, são resgatados de mais de 20 botes no mar Mediterrâneo - Emilio Morenatti/AP
Refugiados, a maioria da Eritreia, são resgatados de mais de 20 botes no mar Mediterrâneo Imagem: Emilio Morenatti/AP

Em Roma

29/08/2016 20h07

A Guarda Costeira italiana anunciou na noite desta segunda-feira (29) que resgatou cerca de 6.500 emigrantes ao largo da Líbia, em um dos dias de maior fluxo de refugiados dos últimos anos no Mediterrâneo.

"O centro operacional coordenou 40 missões de resgate" ao largo da Líbia, quando navios da Guarda Costeira e da Marinha italiana, da operação Sophia, da agência europeia Frontex e de organizações humanitárias "salvaram 6.500 emigrantes", informaram as autoridades italianas no Twitter.

"Hoje estivemos particularmente ocupados", confirmou à AFP um porta-voz, rejeitando falar em recordes.

As saídas dos emigrantes da Líbia ocorrem em ondas, com a concentração do fluxo quando o mar está calmo e o vento do sul leva as precárias embarcações para águas internacionais.

A Médicos Sem Fronteiras (MSF) anunciou no Twitter que seu navio humanitário Dignity participou com a organização catalã Proactiva Open Arms do resgate de centenas de emigrantes a bordo de 15 botes infláveis e um barco de pesca.

Entre os resgatados está um bebê doente de cinco dias que foi evacuado de helicóptero para um hospital italiano.

Em sua conta no Twitter, a Proactiva divulgou imagens do resgate de um barco de pesca gravadas por um jornalista a bordo do navio, onde aparecem centenas de pessoas em pânico, muitas se jogando n'água após receber o colete salva-vidas.

Segundo a Acnur, ao menos 3.100 emigrantes morreram este ano no mar Mediterrâneo tentando chegar à Europa.

Internacional