Oito anos de prisão na França para 'homem-aranha' por roubo de quadros

Paris, 20 Fev 2017 (AFP) - O ladrão de cinco obras-primas da pintura em 2010 no Museu de Arte Modena de Paris, um dos mais espetaculares dos últimos anos, foi condenado nesta segunda-feira a oito anos de prisão.

As obras roubadas, de Picasso, Matisse, Modigliani, Braque e Leger, estimadas em 100 milhões de euros, continuam desaparecidas.

Vjeran Tomic, apelidado de "homem-aranha" por sua habilidade em roubar de andares elevados dos melhores bairros de Paris jóias e obras de arte, tinha quinze condenações como antecedentes.

Foi detido em 2011. Sem hesitar muito, confessou o roubo do museu, mas nunca forneceu os nomes das pessoas que o encomendaram.

Outros dois homens, acusados de acobertá-lo, também foram condenados a penas de prisão de entre seis e sete anos.

Além disso, por terem roubado estes tesouros da humanidade, os três foram condenados a pagar uma multa de 104 milhões de euros à prefeitura de Paris, dona das pinturas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos