Polícia londrina diz ter detido mais dois suspeitos relacionados a atentado

Em Londres

A polícia britânica anunciou nesta sexta-feira (24) mais duas detenções "significativas" relacionadas ao atentado de Londres, ao mesmo tempo que revelou que o verdadeiro nome de Khalid Masood, autor do ataque, era Adrian Russell Ajao.

"Foram realizadas mais duas detenções significativas durante a noite", afirmou Mark Rowley, comandante da unidade antiterrorista da Scotland Yard --o que eleva para nove o número de detidos, já que uma mulher, dentre os oito que haviam sido presos na noite anterior, foi liberada após pagamento de fiança.

Rowley disse ainda que o homem que morreu na quinta-feira à noite em consequência dos ferimentos sofridos no atentado era um londrino de 75 anos chamado Leslie Rhodes.

Seu falecimento eleva o balanço do ataque a quatro mortos, além do criminoso. São 50 feridos --o número anterior era 40--, de 12 nacionalidades, informou o policial.

As outras vítimas foram Aysha Frade, uma londrina de origem espanhola de 43 anos, mãe de duas meninas, o turista americano Kurt Cochran, 54 anos, que celebrava bodas de prata na capital inglesa, e o policial Keith Palmer, 48, esfaqueado na entrada do Parlamento.

"Duas pessoas permanecem no hospital em estado muito grave, e uma delas luta entre a vida e a morte", disse Rowley.

Vídeo flagra momento em que mulher cai de ponte durante ataque

Dois policiais feridos no ataque contra a Ponte de Westminster e o Parlamento continuam no hospital com sérios ferimentos.

A investigação, disse Rowley, "se concentra em entender a motivação, a preparação e se (Russell) teve cúmplices".

"Queremos saber se ele agiu absolutamente sozinho, inspirado por propaganda terrorista, ou se recebeu ajuda de outros", afirmou o policial, antes de pedir a ajuda da população.

"Continuamos interessados em falar com qualquer pessoa que tenha conhecido bem Khalid Masood, que saiba quem eram seus colaboradores e que possa apresentar informações sobre os locais que ele visitou recentemente."

"Podem existir pessoas que tinham preocupações sobre Masood, mas que não se sentiam confortáveis, seja pela razão que for, em repassar estas preocupações para nós", completou.

A investigação é "ampla e avança rápido", disse o comandante. Segundo ele, 2.700 itens foram apreendidos durante as operações de busca.

 

Problemas com a lei

O autor do ataque, Russell, tinha 52 anos - uma idade vista como elevada para os padrões deste tipo de atentado. Ele nasceu no dia 25 de dezembro de 1964 no condado de Kent, sudeste do país. A mudança de nome indica sua conversão ao islã.

A imprensa britânica informou que ele trabalhou como professor na Arábia Saudita, na década passada, quando se radicalizou.

O homem morava há algum tempo na região de Birmingham e "não era objeto de nenhuma investigação", informou a Scotland Yard. "Os serviços de inteligência não possuíam elementos sobre sua intenção de executar um atentado terrorista."

Criado pela mãe, cresceu em Rye, Kent. Desde junho do ano passado morava em Birmingham, com a mulher e os filhos, de acordo com vizinhos que o descreveram como "muito religioso".

Russell, no entanto, teve muitos problemas com a lei e tinha várias condenações por agressões e delitos de distúrbios públicos, mas não de terrorismo, segundo a polícia. Sua última condenação acontecera em dezembro de 2003 por posse de arma branca.

Após a homenagem às vítimas que lotou Trafalgar Square na quinta-feira à noite, um dia depois do atentado, Londres voltou à normalidade. A área de Westminster e do Parlamento, incluindo a estação de metrô e a circulação na ponte em que Masood atropelou a maioria das vítimas, já estava aberta ao público e ao tráfego.

A manifestação prevista para sábado com o objetivo de pedir que o Reino Unido respeite os direitos dos europeus após a saída da União Europeia foi adiada, de acordo com os organizadores, para não dar mais trabalho à polícia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos