Lavrov diz que nenhum fato "concreto" prova acusações contra a Rússia

Moscou, 30 Mai 2017 (AFP) - O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, afirmou que não existe "nenhum fato concreto" que respalde as acusações contra Moscou, da interferência eleitoral à perseguição aos homossexuais na Chechênia, um dia depois da reunião entre os presidentes russo e francês.

"Não vemos nenhum fato concreto sobre os 'hackers' ou sobre a interferência (russa) nas eleições de quase todos os países ocidentais, nem sobre as violações dos direitos humanos a representantes LGBT na Chechênia ou em outras partes da Rússia", declarou Lavrov em uma entrevista coletiva.

"Não há um só fato concreto", insistiu, antes de afirmar: "Se existissem fatos concretos, nomes, nossas respostas seriam concretas".

Na segunda-feira, o presidente francês, Emmanuel Macron, que recebeu o presidente russo Vladimir Putin, afirmou que permanecerá "constantemente alerta" sobre o respeito dos direitos humanos na Rússia, especialmente na Chechênia.

De acordo com a revista russa Novaia Gazeta e várias ONGs, na Chechênia, uma república russa do Cáucaso, os homossexuais são perseguidos e vários foram assassinados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos