Prisão perpétua para enfermeira canadense que matou oito idosos

Ottawa, 26 Jun 2017 (AFP) - Uma ex-enfermeira que confessou ter assassinado oito idosos que estavam sob os seus cuidados em casas de repouso no leste do Canadá foi sentenciada nesta segunda-feira à prisão perpétua.

Elizabeth Wettlaufer podia ter sido condenada a 200 anos de prisão, mas o juiz da província de Ontário optou por oito sentenças sem liberdade condicional de, pelo menos, 25 anos.

A mulher de 50 anos admitiu ter injetado insulina em suas vítimas em duas casas de repouso de Ontário onde trabalhou, a maior parte das vezes na parte noturna, entre 2007 e 2014.

Também confessou outras quatro tentativas de assassinato e duas agressões em uma terceira casa.

O tribunal da cidade de Woodstock, ao sul de Toronto, escutou que Wettlaufer sofria de raiva extrema por conta de seu trabalho e de sua vida.

"Estava longe de ser um anjo de misericórdia", disse o juiz Bruce Thomas. "Ao contrário, era a sombra da morte que passou sobre" suas vítimas.

Em sua audiência de sentença, Wettlaufer pediu desculpas por seus atos.

Mas fora do tribunal, os amigos e parentes das vítimas expressaram ira e dor, dizendo que se sentiram traídos pela mulher encarregada de cuidar de seus pais e avós. "Nunca vamos superar o fato de que nossa confiança foi quebrada por esta mulher", disse uma pessoa a jornalistas.

O caso de Wettlaufer levou a pedir uma maior supervisão das casas de repouso no Canadá e o monitoramento dos medicamentos dados pelos trabalhadores da área de saúde.

As vítimas eram homens e mulheres com idades entre 75 e 96 anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos