PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Confrontos entre rebeldes deixam 14 mortos no Iêmen

29/11/2017 19h16

Sana, 29 Nov 2017 (AFP) - Catorze rebeldes huthis e partidários do ex-presidente Ali Abdallah Saleh morreram nesta quarta-feira (29), em confrontos armados em Sanaa entre as duas partes, indicaram autoridades e hospitais da capital iemenita.

Segundo estas fontes, os confrontos ocorreram em torno da mesquita Saleh, a maior do Iêmen, situada no centro da capital. Aparentemente, os huthis queriam se apoderar do centro religioso antes da celebração, na quinta-feira, do aniversário do profeta Maomé.

"Os huthis tentaram tomar o controle da mesquita na previsão de uma concentração nesta quinta-feira de seus partidários na praça próxima de Sabyne, por ocasião da celebração do aniversário do profeta Maomé", explicou à AFP sob a condição de ter a identidade preservada uma autoridade do Congresso Popular Geral (CPG) de Saleh.

Os guardiães da mesquita, partidários de Saleh, se opuseram a essa tentativa, o que provocou confrontos armados entre os dois campos a princípio aliados, acrescentou esta autoridade.

Os combates se estenderam em seguida a bairros próximos, sob o controle dos partidários de Saleh.

Segundo este funcionário, quatro partidários de Saleh morreram no local dos confrontos e um quinto não resistiu a seus ferimentos em um hospital da capital aonde foi levado.

Do lado huthi, morreram nove combatentes, entre eles um comandante denominado Abu Kahlan, indicaram fontes dos dois centros hospitalares da capital.

Os confrontos são frequentes no âmbito do campo rebelde, entre os huthis, membros de uma minoria de obediência xiita e apoiados pelo Irã, e os partidários de Saleh, nacionalistas sem confissão religiosa.

bur-faw/mh/iw/jz/mvv

Internacional