Turquia detém organizador de exposição onde embaixador russo foi morto

Istambul, 28 dez 2017 (AFP) - A Turquia deteve o organizador de uma exposição de fotografia em Ancara na qual o embaixador russo Andrei Karlov foi assassinado em dezembro de 2016, informou a agência de notícias estatal turca.

Mustafa Timur Ozkan encontra-se em prisão preventiva por decisão de um juiz de Ancara por participação deliberada em um assassinato, declarou a agência oficial Anatólia.

Ozkan, que havia organizado uma exposição de fotografia de paisagens russas em uma galeria do exclusivo bairro de Cankaya, já havia sido sido detido em janeiro e depois posto em liberdade.

Em 19 de dezembro de 2016, Mevlut Mert Altintas, um policial de 22 anos fora de serviço naquele dia, disparou nove tiros contra o embaixador russo em Ancara, Andrei Karlov, um veterano dos serviços diplomáticos de seu país, durante a inauguração desta exposição.

O assassino foi abatido pelas forças de segurança, depois de ter gritado "Alá Akbar" (Alá é grande, em árabe), e afirmou querer se vingar pela situação em Aleppo.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, designou quase imediatamente como culpado a rede de pregadores Fethullah Gülen, também acusada de ser o autor intelectual do fracassado golpe de Estado em 15 de julho de 2016.

A Turquia deteve cinco suspeitos relacionados ao caso, um deles produto de televisão Hayreddin Aydinbas, suspeito de pertencer à rede de Gülen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos