China e Japão querem estabelecer linha de comunicação militar

Pequim, 28 Jan 2018 (AFP) - China e Japão pretendem estabelecer uma linha de comunicação militar para apaziguar as tensões sobre as disputadas ilhas do Mar da China Oriental, informou o ministério chinês das Relações Exteriores após um encontro em Pequim entre os chanceleres dos dois países.

O chinês Wang Yi recebeu neste domingo em Pequim o colega japonês Taro Kono. O objetivo do encontro era melhorar as relações entre os dois países, afetadas por divergências sobre as zonas marítimas.

Esta foi a primeira visita de um chanceler japonês a China em quase dois anos.

Os dois países se comprometeram a assinar um acordo "o mais rápido possível" para estabelecer uma linha de comunicação militar e evitar incidentes no Mar da China Oriental, anunciou o ministério em um comunicado.

As relações entre China e Japão estão em uma "fase crucial", declarou Wang, antes de destacar que "apesar de uma evolução positiva, ainda existem muitos obstáculos".

As pequenas ilhas controladas pelo Japão com o nome de Senkaku, e reivindicadas pela China como Diaoyu, são objetos de disputa há muito tempo entre Tóquio e Pequim.

Em 2012 as relações pioraram quando Tóquio "nacionalizou" algumas destas ilhas. Desde então, o cenário melhorou, mas persistem algumas tensões, especialmente por conta das patrulhas marítimas regulares dos dois países ao redor das ilhas.

Neste domingo, o japonês Taro Kono pediu que a China pressione ainda mais a Coreia do Norte para que o país acabe com seu programa nuclear.

Apesar da nova aproximação entre Tóquio e Pequim, o presidente chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, ainda não se reuniram em seus respectivos territórios.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos