PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ortega nomeia consogro como chefe da Polícia Nacional da Nicarágua

23/08/2018 19h18

Manágua, 23 Ago 2018 (AFP) - O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, realizou mudanças na direção da Polícia Nacional, em cujo cargo colocou o seu consogro, o comissionado Francisco Díaz, publicou o jornal oficial "Gaceta" nesta quinta-feira (23).

O acordo presidencial afirma que Díaz tomará posse no dia 5 de setembro, quando a comissária Aminta Granera se aposentar.

Granera exercia desde 2011 a função de diretora da entidade policial, mas desapareceu do cenário público no final de abril em meio a boatos de renúncia após a explosão de protestos contra o governo que deixaram mais de 300 mortos, 2.000 feridos, detidos e desaparecidos.

O comissário Díaz é um dos quatro funcionários da Nicarágua punidos pelos Estados Unidos com a chamada Lei Magnitsky, que visa pessoas assinaladas de incorrer em atos de corrupção ou envolvidas em violações aos direitos humanos.

O Departamento do Tesouro americano revelou em 5 de julho a adoção de sanções contra Díaz, que era subdiretor da Polícia Nacional, assinalando-o por "abusos aos direitos humanos e corrupção".

Díaz "é considerado o líder de fato e conduziu diariamente" a polícia, afirmou então o Departamento de Estado.

Nessa função, Díaz "se envolveu em sérios abusos aos direitos humanos contra o povo da Nicarágua, incluindo assassinatos extrajudiciais", segundo as alegações do Tesouro americano.

O acordo presidencial de Ortega também ratificou nos cargos de subdiretor os comissários Adolfo Marenco e Ramón Avellán, este último à frente da praça de Masaya, uma das cidades mais castigadas pelas forças combinadas da polícia e paramilitares.

As manifestações começaram em 18 de abril contra uma reforma da Previdência e derivaram em uma demanda política de saída do poder de Ortega e de sua esposa e vice-presidente, Rosario Murillo.

Internacional