PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EUA e Canadá realizam negociações de última hora sobre o Nafta

30/09/2018 21h09

Montreal, 1 Out 2018 (AFP) - Negociadores americanos e canadenses estavam mantendo conversas de última hora neste domingo, com o objetivo de renovar o Acordo de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta) antes do prazo imposto por Washington.

As negociações estavam sendo realizadas por telefone, diferentemente das rodadas anteriores, nas quais a ministra das Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, havia viajado para Washington.

"Muito progresso, mas ainda não chegamos lá", disse David MacNaughton, embaixador do Canadá nos Estados Unidos, em Ottawa, antes de voltar a Washington na noite de domingo.

Peter Navarro, conselheiro comercial do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse à Fox News mais cedo: "Todo mundo está negociando de boa fé agora mesmo enquanto falamos".

"O prazo é até a meia-noite de hoje para levar o texto ao Congresso para garantir que isso avance", acrescentou.

O jornal The Globe and Mail, do Canadá, citou fontes de ambos os lados da fronteira dizendo que o acordo estava próximo.

A maior parte do "trabalho substancial" foi concluída, e resta um "punhado" de detalhes a serem resolvidos, informou o jornal.

Os Estados Unidos e o México querem forçar um acordo que eles negociaram separadamente através de suas respectivas legislaturas antes que o presidente eleito do México, Andres Manuel Lopez Obrador, tome posse, no dia 1º de dezembro.

Nos Estados Unidos, o Congresso precisa ter o texto do acordo até domingo para que o período de revisão de 60 dias seja respeitado.

Trump tem pressionado por uma reformulação completa do acordo comercial de 25 anos, que ele diz ter causado a perda de milhões de empregos nos Estados Unidos.

Falando em um ato político em Wheeling, na Virgínia Ocidental, na noite de sábado, Trump disse a seus apoiadores: "Vamos ver o que acontece com o Canadá, se eles progridem. Eles têm que ser justos".

Ottawa e Washington continuam em desacordo em relação ao setor de laticínios gerenciado pelo Canadá e às disposições sobre resolução de disputas no Nafta.

Mas concessões em produtos lácteos seriam politicamente difíceis para o governo de Trudeau, uma questão ainda mais complicada pelas eleições que serão realizadas na segunda-feira na província de Quebec, importante produtora de laticínios.

Os principais partidos e organizações de fazendeiros de Quebec são a favor de manter o sistema de "gerenciamento de fornecimento", que controla a produção e o preço do leite e das aves e garante rendimentos estáveis para os agricultores canadenses.

Internacional