PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Casal detido por drones em aeroporto londrino é liberado sem acusações

23/12/2018 11h10

Londres, 23 dez 2018 (AFP) - O homem e a mulher detidos na sexta-feira à noite no âmbito da investigação sobre os voos de drones que perturbaram gravemente o tráfego aéreo no aeroporto londrino de Gatwick foram liberados sem acusações, anunciou a polícia neste domingo.

"Estas duas pessoas cooperaram plenamente com nossa investigação e estou convencido de que não são mais suspeitos dos drones em Gatwick", afirmou o comandante de polícia Jason Tingley em um comunicado.

O oficial destacou que a "investigação prossegue para localizar os responsáveis pelas incursões de drones"

O casal - ele de 47 anos, ela, de 54 - havia sido detido por ligação com o "uso criminosos de drones", informou a polícia na sexta-feira.

A pista única de Gatwick foi fechada pela primeira vez na quarta-feira às 21h00 GMT (19h00 de Brasília) quando dois drones foram observados sobrevoando o local. O terminal foi reaberto por alguns minutos durante a noite e voltou a fechar às 3h45 GMT (1H45 de Brasília), quando os drones foram novamente detectados (um total de 50 vezes em 24 horas).

Durante três dias, 140.000 passageiros foram afetados por atrasos e cancelamentos em Gatwick.

O diretor-geral do aeroporto, Stewart Wingate, denunciou uma "atividade muito direcionada com o objetivo de fechar o aeroporto e causar o maior número de distúrbios pouco antes do Natal".

Com os aviões paralisados, os passageiros precisaram de paciência e muitos chegaram dormir no chão do aeroporto. Os voos foram desviados para outras cidades do Reino Unido e até mesmo Paris ou Amsterdã.

A polícia afirmou que este foi um "ato deliberado", mas ressaltou que "não há absolutamente nenhuma evidência que sugira um vínculo terrorista".

A legislação britânica estipula que drones não podem ser utilizados a menos de um quilômetro de um aeroporto e que não podem superar uma altitude de 122 metros. O responsável ou responsáveis por tais atos podem ser condenados a penas de até cinco anos de prisão e ao pagamento de multas pesadas.

mpa/phv/me/pb/fp

Internacional