Topo

Líder de Hong Kong pede desculpas por crise política

2019-06-18T06:03:00

18/06/2019 06h03

Hong Kong, 18 Jun 2019 (AFP) - A chefe de Governo de Hong Kong, Carrie Lam, pediu desculpas nesta terça-feira pela crise política criada por um projeto de lei apoiado por Pequim que teria permitido extradições para China continental.

"Pessoalmente tenho que carregar grande parte da responsabilidade. Isto provocou polêmicas, disputas e ansiedade na sociedade", afirmou Lam em uma entrevista coletiva, após as gigantescas manifestações contra seu governo.

"Por isto apresento minhas desculpas mais sinceras a todo o povo de Hong Kong", declarou.

Lam suspendeu a tramitação do projeto de lei após as manifestações de 9 e 12 de junho, que provocaram confrontos entre a polícia e alguns ativistas.

Mas isto não foi suficiente para reduzir a revolta popular. Uma nova manifestação aconteceu no domingo e reuniu, segundo os organizadores, dois milhões de pessoas, o que significa mais de 25% da população de Hong Kong.

Lam não deu sinais de estar considerando sua renúncia e afirmou que deseja "seguir trabalhando duro para satisfazer as aspirações do povo de Hong Kong".

Os críticos afirmam que o projeto de lei colocaria a população da ex-colônia britânica à mercê do sistema judicial da China, opaco e sob influência do Partido Comunista. Os círculos empresariais temem que a reforma prejudique a imagem internacional de Hong Kong e sua atração com centro financeiro.

ey-qan/je/zm/fp

Mais Internacional