PUBLICIDADE
Topo

Trump e Macron pedem 'maior cooperação' na ONU contra coronavírus

24.ago.2019 - O presidente francês, Emmanuel Macron, recebe o presidente dos EUA, Donald Trump, em Biarritz (França) - Nicholas Kamm / AFP
24.ago.2019 - O presidente francês, Emmanuel Macron, recebe o presidente dos EUA, Donald Trump, em Biarritz (França) Imagem: Nicholas Kamm / AFP

em Washington (EUA)

03/04/2020 16h50

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu colega francês, Emmanuel Macron, expressaram hoje sua vontade de realizar uma reunião entre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança para aumentar a cooperação na organização da luta contra o coronavírus.

Os dois líderes discutiram a "organização próxima de uma reunião" entre Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França para "vencer a pandemia", segundo um comunicado da Casa Branca.

Há semanas, o Conselho de Segurança está paralisado devido às posições contrárias dos Estados Unidos e da China sobre a origem do vírus, que Washington quis destacar em cada discussão ou texto na ONU.

Enquanto isso, China e Rússia se mostram reticentes a que o Conselho de Segurança, encarregado da paz e da segurança mundial, se encarregue da pandemia da covid-19, até agora um assunto majoritariamente sanitário e econômico.

Para Pequim, falar da pandemia em discussões do Conselho de Segurança sobre os diferentes conflitos em curso é suficiente, mas sem que se torne um assunto transversal, segundo explicou um diplomata, que pediu para ter a identidade preservada.

Há uma semana, o presidente francês anunciou, sem dar detalhes, que preparava "uma iniciativa importante" com seu colega americano.

Segundo diplomatas, a França discute quase diariamente com seus quatro companheiros permanentes no Conselho de Segurança sobre um texto de resolução que apoie o chamado do secretário-geral da ONU, António Guterres, a um "cessar-fogo imediato e mundial" nos países em conflito para facilitar a luta contra a pandemia.

Mas "a disputa se reforçou" entre Estados Unidos e China, disse nesta sexta um diplomata sob a condição do anonimato.

A ideia de uma videoconferência para reunir os cinco dirigentes dos membros permanentes do Conselho poderia desbloquear a situação.

Diante da paralisia dos cinco membros permanentes, os três integrantes do Conselho — não permanentes — pediram ontem, por iniciativa da Alemanha, uma reunião sobre a covid-19 com uma exposição do secretário-geral da ONU sobre a pandemia.

Guterres disse hoje à imprensa que a reunião poderia ocorrer na semana que vem. Nenhuma data foi acertada até o momento e o evento poderia ocorrer só depois do encontro dos cinco membros permanentes, proposta pela Casa Branca.

Tanto a França quanto os Estados Unidos enfrentam fortes desacelerações econômicas devido às medidas de confinamento adotadas para retardar o avanço da pandemia.

A Casa Branca acrescentou ainda que "o presidente Trump comunicou (a Macron) que os Estados Unidos apoiam os cidadãos franceses e expressou suas condolências por aqueles que perderam a vida na França".

Coronavírus