PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Trump diz que pode limitar contato com Pence por medo de coronavírus

26.fev.2020 - O presidente dos EUA, Donald Trump, concede entrevista coletiva na Casa Branca ao lado do vice-presidente Mike Pence - Liu Jie/Xinhua
26.fev.2020 - O presidente dos EUA, Donald Trump, concede entrevista coletiva na Casa Branca ao lado do vice-presidente Mike Pence Imagem: Liu Jie/Xinhua

em Washington (EUA)

11/05/2020 19h41

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que Mike Pence testou negativo para o novo coronavírus, mas que pode limitar seu contato com o vice-presidente.

Trump também sugeriu que Pence estava em quarentena depois que sua secretária de imprensa testou positivo, embora não tenha afirmado isso expressamente.

"Eu diria que eu e ele iremos conversar sobre isso", informou Trump a repórteres na Casa Branca, quando perguntado se ele planejava evitar contatos com Pence.

"Durante esse período de quarentena, provavelmente conversaremos", disse Trump, acrescentando: "Eu não o vejo desde então". "Podemos conversar por telefone", disse ele.

"Ele testou negativo, precisamos entender isso, mas ele tem contato com muitas pessoas".

O coronavírus apareceu pela primeira vez entre a comitiva do presidente há alguns dias, quando o teste da secretária de imprensa de Pence, Katie Miller, deu positivo.

Miller é casada com Stephen Miller, conselheiro sênior do presidente.

Um membro do Exército dos EUA que atua como manobrista particular de Trump também testou positivo.

Em comunicado divulgado hoje, a Casa Branca instruiu todos os funcionários a usarem máscara, exceto quando estiverem em seus escritórios.

O porta-voz de Pence, Devin O'Malley, negou à imprensa no fim de semana que o vice-presidente estivesse em quarentena.

"O vice-presidente Pence continuará seguindo os conselhos da Unidade Médica da Casa Branca e não está em quarentena", disse O'Malley.

"O vice-presidente Pence tem resultados negativos todos os dias."

Três membros do gabinete de crise da Casa Branca para lidar com a pandemia decidiram se isolar por precaução: Anthony Fauci, o epidemiologista de renome mundial que se destacou na luta contra muitos vírus, da Aids ao Ebola; Robert Redfield, diretor do Centro de Prevenção de Doenças Infecciosas (CDC); e Stephen Hahn, chefe da agência reguladora de medicamentos, FDA.

Coronavírus