PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Francisco pede a auditores de contas do Vaticano que impeçam especulação

Papa Francisco discursa em audiência geral após readmissão do público - GUGLIELMO MANGIAPANE
Papa Francisco discursa em audiência geral após readmissão do público Imagem: GUGLIELMO MANGIAPANE

08/10/2020 11h36

O papa Francisco pediu hoje aos especialistas do organismo europeu Moneyval, que fizeram uma auditoria nas contas do Vaticano durante uma semana, que "promovam as finanças limpas" e evitem a especulação por parte de "mercadores".

"Renovo minha gratidão pelo serviço que realizam, para a tutela das 'finanças limpas', no âmbito das quais se impede aos 'mercadores' especular neste templo sagrado que é a humanidade", afirmou o papa ao grupo de especialistas do Conselho da Europa.

O papa fez uma referência ao trecho do Novo Testamento em que Jesus expulsa as pessoas que realizam atividades comerciais dentro dos muros do Templo de Jerusalém.

"Jesus expulsou os mercadores do templo e ensinou que 'não se pode servir a Deus e à riqueza'", completou.

No ano passado, a justiça vaticana abriu uma investigação interna sobre certas operações obscuras na compra de um edifício de luxo em Londres.

Há duas semanas, um dos cardeais mais influentes do Vaticano, o italiano Angelo Becciu, foi destituído pelo pontífice pelo uso irregular de fundos da Secretaria de Estado para esta operação imobiliária.

Em seu discurso aos membros do Moneyval, o papa defendeu a revisão da relação que o mundo estabeleceu com o dinheiro.

"Quando, de fato, a economia perde o sua face humano, não nos servimos do dinheiro, mas se serve ao dinheiro. É uma forma de idolatria contra a qual somos chamados a reagir, propondo de novo a ordem racional das coisas que leva ao bem comum, segundo o qual 'o dinheiro deve servir e não governar'", explicou.

Francisco, que deu passos decisivos este ano para acelerar a reforma das finanças do Vaticano, citou algumas medidas adotadas, incluindo a obrigação para os funcionários do Estado da Cidade do Vaticano de informar sobre qualquer atividade suspeita à Autoridade de Informação Financeira (AIF).

O Vaticano solicitou em 2011 a revisão de suas contas ao Moneyval. Esta é a quinta rodada de avaliação do comitê de especialistas.

Internacional