PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Merkel adverte contra "mentiras e desinformação" na luta contra o coronavírus

A chanceler alemã Angela Merkel defendeu hoje as novas medidas restritivas anunciadas por seu governo contra o coronavírus - Fabrizio Bensch/POOL/AFP
A chanceler alemã Angela Merkel defendeu hoje as novas medidas restritivas anunciadas por seu governo contra o coronavírus Imagem: Fabrizio Bensch/POOL/AFP

Em Berlim

29/10/2020 06h55

A chanceler alemã Angela Merkel defendeu hoje as novas medidas restritivas anunciadas por seu governo contra o coronavírus, ao mesmo tempo que fez uma advertência contra a propaganda e as teorias da conspiração para abalar a luta contra a pandemia.

"Permitam-me ser clara: mentiras e desinformação, conspiração e ódio não prejudicam apenas o debate democrático, mas também a luta contra o coronavírus", disse Merkel na Câmara Baixa do Parlamento alemão.

Merkel anunciou ontem medidas drásticas para conter a segunda onda de coronavírus na Alemanha, como o fechamento por um mês de restaurantes e áreas de lazer, acompanhadas por ajudas de até 10 bilhões de euros (US$ 11,75 bilhões) para que a economia consiga enfrentar o choque.

Deputados do partido de extrema-direita Alternativa para Alemanha (AfD), terceira força política da Câmara Baixa, protestaram com gritos contra as medidas durante o discurso da chanceler.

Algo pouco habitual, o presidente do Parlamento, Wolfgang Schauble, teve que interromper brevemente o discurso de Merkel para pedir ordem e ameaçar os deputados com sanções.

"O populismo não está apenas longe da realidade, mas também é irresponsável", completou Merkel, antes de destacar que as medidas adotadas eram "apropriadas, necessárias e proporcionais".

Internacional