PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Novavax começa a testar vacina contra covid-19 em adolescentes nos EUA

Vacina da Novavax ainda não está autorizada em país algum, nem mesmo em adultos - iStock
Vacina da Novavax ainda não está autorizada em país algum, nem mesmo em adultos Imagem: iStock

03/05/2021 12h29Atualizada em 03/05/2021 13h39

Washington, 3 Mai 2021 (AFP) - A empresa americana de biotecnologia Novavax anunciou hoje que iniciou testes clínicos em adolescentes nos Estados Unidos para avaliar sua vacina contra covid-19.

A Novavax testará a "segurança e eficácia" de sua vacina contra o coronavírus em aproximadamente 3.000 adolescentes de 12 a 17 anos, "em mais de 75 locais nos Estados Unidos", disse a empresa em um comunicado.

Dois terços dos participantes receberão a vacina, e um terço, um placebo, administrados em duas doses com 21 dias de intervalo. Em segundo lugar, seis meses depois, aqueles que receberam o placebo serão imunizados com a vacina e vice-versa, de modo que todos os participantes recebam o antiviral.

O grupo será acompanhado por até dois anos depois de inoculadas as injeções. A aplicação desta vacina ainda não está autorizada em país algum, nem mesmo em adultos.

A Novavax anunciou que deseja apresentar um pedido de autorização de emergência no Reino Unido "no segundo trimestre de 2021", bem como nos Estados Unidos, pouco depois deste trâmite.

Em março, a empresa disse que sua vacina tinha 89,7% de eficácia contra as formas sintomáticas da doença, com base em testes clínicos realizados no Reino Unido em mais de 15 mil pessoas com mais de 18 anos.

Outro ensaio clínico de fase 3 em adultos está em curso nos Estados Unidos e no México.

A vacina Novavax utiliza uma tecnologia diferente da usada para vacinas que já contam com autorização em todo mundo. É uma vacina à base de proteínas que desencadeiam uma resposta imunitária, sem vírus, cujo armazenamento pode ser feito a uma temperatura entre 2° C e 8° C.

Outros laboratórios também estão fazendo testes clínicos de suas vacinas anticovid em adolescentes, como a Moderna, a Johnson & Johnson e a aliança Pfizer/BioNtech. Esta última já solicitou autorização para sua vacina em jovens de 12 a 15 anos nos Estados Unidos e na Europa.

Coronavírus