PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Síria acusa Israel de bombardeios que deixaram um morto e seis feridos

Danos dentro de um quarto após os ataques na região portuária de Latakia, na Síria - Sana/Reuters
Danos dentro de um quarto após os ataques na região portuária de Latakia, na Síria Imagem: Sana/Reuters

05/05/2021 06h44Atualizada em 05/05/2021 07h23

O governo sírio acusou, hoje, Israel de bombardear posições na província de Latáquia, no noroeste deste país em guerra, nos quais uma pessoa morreu, e outras seis ficaram feridas - informou a imprensa oficial.

Desde o início da guerra na Síria, em 2011, Israel lançou centenas de ataques em território sírio, principalmente contra posições das forças iranianas e do movimento libanês do Hezbollah, grandes aliados do regime de Damasco.

Pouco depois das 2h da madrugada de hoje, "o inimigo israelense realizou um ataque aéreo do sudoeste de Latáquia contra posições na zona costeira", disse uma fonte militar citada pela agência estatal de notícias síria Sana, sem especificar a natureza dos alvos.

A defesa aérea síria foi ativada para interceptar "mísseis" israelenses e "alguns foram destruídos".

"A agressão israelense causou a morte de um civil e deixou seis feridos, incluindo uma criança e sua mãe", segundo a fonte, que também relata danos materiais em uma fábrica de plásticos.

Os ataques israelenses na região de Latáquia, o reduto da família do presidente Bashar al-Assad, são pouco comuns.

Sana informou que mísseis foram disparados contra a área de Al Hafe em Latáquia, mas também contra uma área próxima na província vizinha de Hama.

O OSDH (Observatório Sírio dos Direitos Humanos) afirmou que os bombardeios foram dirigidos contra "posições militares" do regime sírio e militantes pró-iranianos.

Segundo a ONG, que também atribui a ação a Israel, "depósitos de armas e munições" foram alvo de ataques na zona montanhosa de fronteira entre as duas províncias.

"Quatorze combatentes" ficaram feridos nos bombardeios, segundo a mesma fonte.

Em setembro de 2018, ativada para interceptar mísseis israelenses nesta província, a defesa aérea síria abateu por engano um avião pertencente a seu aliado russo, matando os militares a bordo.

Israel avisa regularmente que não permitirá que a Síria se torne uma plataforma para as forças iranianas.

A guerra na Síria, que começou em março de 2011 como resultado da repressão às manifestações pró-democracia, complicou-se ao longo dos anos com o envolvimento de potências estrangeiras e a multiplicação de beligerantes. Mais de 388.000 pessoas morreram na década da guerra e milhões foram forçadas a se deslocar.

Internacional