PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Israel registra 11 mil casos diários de covid-19, recorde na pandemia

6.jan.2021 - Homem é vacinado contra o coronavírus em centro de vacinação drive-through em Haifa, Israel - Ammar Awad/Reuters
6.jan.2021 - Homem é vacinado contra o coronavírus em centro de vacinação drive-through em Haifa, Israel Imagem: Ammar Awad/Reuters

31/08/2021 07h07Atualizada em 31/08/2021 08h50

Jerusalém, 31 Ago 2021 (AFP) - Israel atingiu um recorde de contágios diários por covid-19 desde o início da pandemia, com cerca de 11 mil casos registrados na véspera do início do ano letivo, anunciou hoje o Ministério da Saúde.

Nas últimas semanas, o número de casos de coronavírus vem aumentando regularmente em Israel, sobretudo, devido à propagação da variante delta, mais contagiosa, não apenas em adultos não vacinados, mas também em pessoas vacinadas há mais de seis meses. Esse quadro levou as autoridades a lançarem uma nova campanha para oferecer uma dose de reforço.

Ontem, as autoridades haviam anunciado mais de 9.000 casos, um número que chegou a 10.947 hoje (7,65% de testes positivos), superando, assim, o recorde anterior de 10.118 casos em um dia registrado em 18 de janeiro. Os números são do Ministério da Saúde, que registrou, no entanto, uma leve queda no número de casos graves em todo país.

Apesar deste recorde de novas infecções, o governo israelense decidiu não adiar o retorno às salas de aula dos 2,4 milhões de alunos, programado para amanhã.

O primeiro-ministro Naftali Bennett anunciou que os funcionários das escolas que se recusarem a se vacinar serão obrigados a apresentar um teste negativo para covid-19 duas vezes por semana.

O Estado hebreu foi um dos primeiros a lançar, em meados de dezembro, uma ampla campanha de vacinação, graças a um acordo com a Pfizer. Por meio dele, milhões de doses foram entregues rapidamente em troca de dados sobre a eficácia do imunizante em sua população. Isso reduziu o número de casos até a propagação da variante delta.

Cerca de 5,5 milhões de pessoas receberam duas doses da vacina anticovid-19 em Israel, representando cerca de 60% da população. Deste total, mais de 80% são adultos.

No domingo (29), o governo reduziu para 12 anos a idade mínima para receber a terceira dose, a fim de combater o aumento do número de caso, ligado à variante delta.

Diante do aumento do número de casos em Israel, a União Europeia decidiu na segunda-feira voltar a impor restrições às viagens não essenciais deste país.

Coronavírus