PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
1 mês

Moscou poderá trocar presos ucranianos por aliado de Putin, diz negociador

Mikhail Klimentyev/Sputnik/AFP
Imagem: Mikhail Klimentyev/Sputnik/AFP

22/05/2022 10h59

Moscou está considerando trocar prisioneiros do ucraniano Batalhão Azov por Viktor Medvedchuk, um político e rico empresário próximo ao presidente Vladimir Putin - disse um negociador russo no sábado (21).

"Vamos estudar a possibilidade", afirmou Leonid Slutsky, membro da equipe de negociação russa com a Ucrânia na cidade separatista de Donetsk, no sudeste da Ucrânia, informou a agência de notícias RIA Novosti.

Medvedchuk, de 67 anos, é um dos homens mais ricos da Ucrânia, conhecido por sua proximidade com Putin. Ele escapou da prisão domiciliar em que foi colocado após a invasão russa da Ucrânia em fevereiro, mas voltou a ser detido em abril.

Na sexta-feira (20), os militares russos anunciaram que os últimos defensores da cidade de Mariupol, no sudeste da Ucrânia, haviam-se rendido, depois de semanas de resistência na siderúrgica de Azovstal.

Entre os combatentes ucranianos que se entregaram às tropas russas, havia membros do Batalhão Azov, uma ex-unidade paramilitar que se somou às Forças Armadas ucranianas. A Rússia classifica este grupo como uma organização neonazista, devido aos seus vínculos pretéritos com grupos de extrema direita.

A Suprema Corte da Rússia deve considerar, em 26 de maio, um pedido para se classificar o Batalhão Azov como "organização terrorista", o que dificultaria a troca desses prisioneiros.