PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

89 toneladas: Rio conclui retirada de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas

 Mortandade de peixes na Lagoa Rodrigo de Freitas - Márcia Foletto/Agência O Globo
Mortandade de peixes na Lagoa Rodrigo de Freitas Imagem: Márcia Foletto/Agência O Globo

23/12/2018 13h44

A Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana) encerrou na manhã deste domingo (23) a grande operação de retirada de peixes mortos na Lagoa Rodrigo de Freitas, totalizando, até as 11h, 89,23 toneladas.

Nesta semana, foi registrada uma grande mortandade de peixes na lagoa, um dos principais pontos turísticos da cidade. Segundo a Secretaria Municipal de Conservação, houve uma redução dos níveis de oxigênio na água. Um dos motivos para isso, segundo o biólogo Mario Moscatelli, especializado no estudo das lagoas do Rio, é o forte calor que vem atingindo a cidade do Rio de Janeiro nos últimos dias.

Um dos motivos para isso, segundo o biólogo Mario Moscatelli, especializado no estudo das lagoas do Rio, é o forte calor que vem atingindo a cidade do Rio de Janeiro nos últimos dias.

Em nota, a companhia informou que se mantém mobilizada e preparada para o caso haja uma nova mortandade de principalmente savelhas. No momento, a equipe foi reduzida e está fazendo apenas a limpeza residual.

Foram praticamente quatro dias de trabalho, com a Comlurb mobilizando durante todo esse período 662 profissionais, sendo  601 garis e 61 agentes de limpeza urbana. O trabalho contou com o uso de quatro catamarãs para recolher os peixes mortos que boiavam no espelho d'água.

Meio Ambiente