Topo

Twitter: oposição e base disputam narrativa sobre decreto das Armas e Previdência

Gabriel Wainer

Brasília

18/06/2019 14h00

Após ter liderado sozinha durante toda manhã desta terça-feira, 18, o debate político no Twitter, a #ArmasPelaVida passou a dividir o protagonismo da discussão sobre a flexibilização da posse e do porte de armas na rede social com a #AposentadoriaSimArmasNão, promovida por parlamentares e influenciadores de oposição.

Sob o mote "armas matam, essa reforma também", em alusão à Reforma da Previdência, o tuitaço para levantar a hashtag foi organizado e divulgado principalmente por deputados do PCdoB e do PSOL, de oposição ao governo Bolsonaro. O deputado David Miranda (PSOL-RJ) disse que o decreto de armas "alimenta a ideologia da violência e do medo" e está sendo orquestrado com a indústria de armas.

A conta do PSOL no Twitter também compartilhou a hashtag, com uma imagem que afirma que o partido tem uma proposta de quatro pontos para substituir a Reforma da Previdência, afirmando que é possível ampliar a receita em mais de R$ 140 bilhões por ano, mais do que as projeções de economia com a reforma. A proposta inclui a taxação de grandes fortunas e a tributação sobre lucros e dividendos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Política